Uma pesquisa recente realizada pela ONG Safernet em parceria com o Ministério Público Federal, constatou que 53% das crianças e dos jovens brasileiros já tiveram contato com conteúdos agressivos e impróprios para a sua idade através da internet.

Apesar de não ser novidade para mais ninguém, o problema ainda incomoda, e muito, os pais dos pequenos internautas. A solução está longe de ser uma simples proibição, já que não podemos negar o lado fascinante da web, que pode ser explorado positivamente para enriquecer o conhecimento da criançada.

Mas afinal, como protegê-los de certos “perigos” da rede e ensiná-los a usar o computador de forma produtiva?

Veja algumas dicas que podem ajudar na orientação dos seus filhos:

Oriente seu filho a não conversar com estranhos
A velha conhecida regra da vida real, deve valer igualzinha no meio virtual. Oriente seus filhos a não abrirem e-mails com endereços desconhecidos ou adicionar pessoas estranhas em programas como o Messenger, que não sejam seus amiguinhos. Quanto aos desconhecidos que insistem em manter contato mesmo quando ignorados, a ordem é bloquear. Alerte-os também sobre a existência dos famosos vírus, e explique que eles podem fazer o computador parar de funcionar. !

Fique de olho no Orkut
As redes de relacionamentos não permitem, com razão, que menores de 18 anos se inscrevam. Mesmo assim, é claro que o sistema não discerne se o usuário está falando a verdade ou não.

O fato é que o Orkut acabou virando uma febre também entre os pequeninos e já estima-se que mais de 50% das crianças com acesso a web possuam um perfil na rede.

Seu maior problema é expor demais a vida das crianças, inclusive para muitas pessoas mal-intencionadas que existem por aí. No entanto, proibir seu uso talvez não seja a melhor saída. Deixe-os livres para usarem caso queiram, mas desde que certas regras sejam obedecidas.

A orientação é não deixá-los publicar em seus perfis dados como sobrenome, cidade onde vivem, escola onde estudam ou outras informações pessoais. Lembre seu filho que perfis estranhos jamais devem ser adicionados, em hipótese alguma.

Deixe o computador na sala da sua casa
Computador no quarto definitivamente não é uma boa idéia. Além de você ter menos controle sobre a situação, não é correto ensinar a eles que este é o lugar certo do computador. Deixando a máquina em um local próprio para ela, como no escritório ou na sala, seu filho entenderá melhor que ela é um instrumento para ser usado moderadamente, e não o dia inteiro!

Instale softwares para restrição de conteúdos
Existem diversos programas que funcionam como um sistema de filtragem para crianças. Desenvolvidos por empresas especializadas, há opções para serem compradas e outras que podem ser baixadas gratuitamente pela internet. De fato, eles podem ser um grande aliado para os pais, mas nem por isso são infalíveis e permitem que você descuide completamente.

Converse abertamente, sempre
O mais importante de tudo é participar positivamente da vida virtual dos seus filhos. Conversar sobre o assunto, demonstrar interesse pelas atividades deles na rede (sem parecer sempre uma desconfiança) e mostrar que você também encontrou coisas bacanas navegando pela web.

Com a relação de confiança estabelecida, as crianças se sentirão seguras para esclarecer duvidas ou procurar você quando algo as incomodar.