Saber se comunicar, se expressar com clareza e ainda demonstrar tranquilidade diante de uma plateia ou dos colegas de trabalho em uma reunião pode ajudar homens e mulheres a conseguir destaque pessoal e profissional. Mas ao se expor diante de outras pessoas, sejam tímidos ou desinibidos, muitos ainda sentem aquele friozinho na barriga ou certa dose de ansiedade. Muito comum atualmente, a dificuldade em falar em público é uma condição que pode ser trabalhada para melhorar esta habilidade tão bem vista, principalmente, por empregadores no mercado de trabalho.

A fonoaudióloga especialista em comunicação, Cida Stier, explica que para falar bem, os cuidados e o preparo devem ser muito anteriores a apresentação. “As pessoas se preocupam em falar em público, mas antes disso é preciso falar bem no dia a dia. A comunicação diante do público é reflexo da nossa comunicação diária. Se expressa melhor quem se conhece e quem busca uma boa comunicação todos os dias”.

Cida lembra que quem quer aperfeiçoar sua comunicação precisa prestar atenção em alguns aspectos importantes. Para a fonoaudióloga, todo o profissional que quiser fazer boas apresentações precisa ter hábitos diários que ajudem a melhorar seu desempenho. “É preciso investir nos estudos, no hábito da leitura e preocupação com o outro, afinal no processo de comunicação quem fala e quem ouve têm a mesma importância”, destaca. Além destes cuidados, outra dica é treinar com frequência. “Uma boa forma de praticar é criar situações diárias em que você seja desafiado a se expor. Gravar suas apresentações também ajuda. Assim é possível perceber seus vícios de linguagem, erros gramaticais e gestos que poluem a apresentação”, ensina.

Felipe Rosa
“O mercado de trabalho costuma valorizar quem se comunica bem”, garante a coach Cibele Nardi.

Frio na barriga

Mas mesmo estando preparado, ainda é normal sentir algum grau de ansiedade. É o que afirma a psicóloga Cláudia Lúcia Menegatti. “É extremamente comum sentirmos ansiedade quando vamos nos expor diante das pessoas, afinal vamos ser julgados por aquilo que estamos falando e pela forma como nos expressamos. Emocionalmente, o que diferencia uma pessoa da outra é que algumas conseguem lidar com esta experiência e seguir em frente, enquanto outras travam e até desistem de oportunidades em função do medo de se expor”.

A psicóloga orienta que mesmo quem é muito tímido não deve evitar a situações de exposição. “Não deixe de apresentar trabalhos na escola ou na faculdade, afinal eles nos preparam para as situações futuras. Quanto mais frequente for a exposição, mais fácil fica, a pessoa se habitua e fica mais confortável”, garante.

Nestes momentos, a ansiedade deve nos acompanhar, mas sem limitar nossas ações. “A ansiedade deve ser nossa companheira de viagem, ir com a gente para todos os lugares e não nos impedir de fazer o que desejamos. Se deixarmos isto acontecer, esta ansiedade impeditiva pode virar uma fobia, situação que pode precisar ser tratada por um psicólogo ou psiquiatra”, alerta a psicóloga.

No trabalho

Apesar de não ser uma exigência para a maioria das profissões, o mercado de trabalho costuma valorizar quem se comunica bem. Para a coach Cibele Nardi, em algumas áreas é fundamental ter esta competência, mas em outras nem tanto. “Muitas profissões dependem de uma excelente forma de se expressar para conquistar seus clientes, fornec,edores e ascensão na carreira. Assim, o bom profissional deve buscar se desenvolver constantemente e estar sempre apto para um momento que haja necessidade de falar em público”, avalia.

Cibele destaca que saber se comunicar pode ter impacto positivo na carreira do profissional. “Saber colocar seu ponto de vista de forma respeitosa, porém segura, transmite credibilidade. Um fator muito importante é conhecer profundamente sua área de atuação, isso traz segurança e firmeza ao falar sobre o tema. Uma comunicação eficaz hoje é um dos grandes atributos que as empresas procuram em seus candidatos. Todo profissional deve se desenvolver em todos os aspectos e estar apto a todas as necessidades da empresa”, orienta a coach.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook