Esqueça o excesso de ornamentação, a roupa de festa e os grandes eventos. As pérolas do século XXI são descomplicadas e devem fazer parte do dia-a-dia.

Você pode até não acreditar, mas não desgrudar das suas pérolas faz bem e as deixa cada vez mais bonitas e cintilantes.

Verdadeira ou falsa

A pérola é uma gema orgânica, cultivada no interior de ostras e moluscos em fazendas situadas em mares ou em rios. Por essa razão é que diferentes fazendas de cultivo produzem pérolas de diferentes tamanhos e cores. Mas praticamente todas, com raríssimas exceções, apresentam pequenas ranhuras, mordidinhas e pequenas falhas em sua superfície. “Esse é o sinal de que a pérola é verdadeira”, afirma Lélia Steinberg, gerente de produto da Bergerson Joalheiros. “É claro que existem gemas perfeitas, completamente lisas. Mas essas custam o preço de um jatinho”, completa.

Outro truque infalível é observar a pérola num local bem iluminado. “A pérola verdadeira é capaz de refletir todas as luzes do ambiente. O nome dessa prova é lustre ou oriente”, ensina Lélia.

Manutenção

As pérolas morrem. Sem manutenção elas perdem o brilho, ficam amareladas, empalidecidas e totalmente sem graça. “Como dentes sem cuidados”, compara Lélia.

Para evitar que o luto se abata sobre a sua caixinha de jóias, é importante saber que pérolas, perfumes, maquiagens e cremes não combinam. Por isso, sempre que for usar uma jóia com essa gema, evite passar cremes e hidrantes na região. Brincos e colares devem ser colocados no último momento, quando a maquiagem está pronta e o perfume já borrifado.

Ambientes muito quentes, úmidos ou secos demais também não fazem bem às gemas. “Jamais se deve mergulhar no mar com pérolas. Não é porque elas vieram da água que precisam desse contato”, alerta Lélia.

Deixá-las guardadas a sete chaves num cofre nunca aberto também não é recomendado. Ao contrário, o uso constante das pérolas é benéfico e garante a longevidade e beleza da gema. Isso acontece porque a umidade e oleosidade naturais da pele “hidratam” as pérolas.

Na hora de guardar, o ideal é limpá-las com uma flanela limpa e seca e guardá-las envoltas em tecidos de seda ou algodão. Jamais as mantenha em embalagens plásticas: elas impedem a oxigenação. E nunca as guarde junto com outras jóias. O metal e as saliências de outras peças podem danificar a superfície das pérolas.

Por fim, a cada dois ou três anos é importante levar seu colar ou pulseira de pérolas a uma joalheria de confiança para que seja feita a troca do fio de seda que interliga as gemas. “Nessas trocas é comum limpar o interior dos furos e retirar os resíduos que se armazenam ali”, ensina Lélia.

Modo de usar

O colar da vovó, aquele fio médio com pérolas de tamanho pequeno que está na família há gerações e que você acabou de herdar, por exemplo, pode ser usado durante o dia, na companhia de um vestido leve e colorido + sapatilhas.

Agora, se a herança da vovó for do tipo abastada e abençoada por mais de um colar de pérolas, e se eles tiverem comprimentos diferentes, use-os todos ao mesmo tempo e combine com uma camiseta branca e um jeans slim. Nada mais chique.

Se nem o primeiro e nem o segundo caso correspondem a sua realidade (e infelizmente nenhuma dessas belezinhas faz parte da sua família) ainda resta agir como uma mulher do seu século, ir até uma joalheria e comprar um anel ou um brinco com a gema.

Pode ser um brinco simples, apenas com uma pérola. Além de mais barato, esse brinco pode ser usado durante o dia todo, todos os dias (menos na praia, na piscina e na academia, por razões óbvias). Modelos mais elaborados pedem vestidos femininos. Se a peça tiver muito brilho, reserve-a para a noite. Se for fosca, use a qualquer hora.

Os anéis simples também são mais fáceis de usar e ficam ótimos no dia-a-dia, com jeans e camiseta ou vestidinho. Os grandes e sem brilho podem ser usados com vestidos longos. Já as peças com brilho devem ser reservadas para à noite e usadas em companhia de cocktail dresses.

Só nunca, jamais, sob hipótese alguma, use um conjunto de pérolas! Sua jovialidade escorreria pelo ralo..