Com uma grande quantidade de informação disponível na internet e nos meios de comunicação, as meninas têm tido acesso cada vez mais cedo a uma infinidade de produtos e tratamentos de beleza. Mas, apesar de estarem por dentro de todas as novidades e tendências, isso não significa que as adolescentes possam passar por todos os procedimentos que desejam. Nessa fase de descobertas e afirmação da identidade, em que as garotas ainda estão entrando aos poucos na vida adulta, o ideal é que elas optem pela moderação para não colocar a saúde em risco nem pesar no visual.

Para a cabeleireira do Expert Beauty Center Meyre Anne Duarte, quando o assunto é estilo, as adolescentes que vivem em Curitiba podem ser divididas em dois grupos principais: o das alternativas (que têm os cabelos coloridos e mais bagunçados, sem cara de que foram ao salão) e as patricinhas (meninas mais tradicionais, que prezam pela saúde dos fios e mantêm um cabelo parecido com o de suas mães). Mas, para ambas, as orientações de Meyre são as mesmas.

“Se a menina tiver um cabelo virgem, ela deve fazer uma hidratação nutritiva a cada 30 dias. Se o cabelo já tiver processo químico, é preciso passar por uma reposição de massa, também uma vez por mês. Em relação à coloração, acredito que essa é a idade para ousar, usando fios em cores diferentes. No entanto, elas devem dar preferência aos tonalizantes e só devem recorrer às tinturas com autorização dos pais, isso por volta dos 15 anos. O mesmo vale para escovas progressivas e alisamentos. Até essa idade, elas podem manter suas carinhas de menina”, diz Meyre, que recomenda consultar um profissional, que poderá fazer o diagnóstico dos fios e indicar o tratamento adequado para cada garota.

Mas não é só cabelo que recebe atenção especial, afinal, outros detalhes, como a cor das unhas, complementam o visual. “As adolescentes gostam bastante de unhas coloridas, com película, unhas étnicas, ela gostam de ousar e não usam nada que seja delicado demais”, conta a manicure Karolina Ribeiro. Segundo Carolina, as jovens podem fazer as unhas desde cedo, cuidando e hidratando mãos e unhas. Já a retirada da cutícula só deve ser feita depois dos 13 anos, mesma idade em que elas começam a fazer as unhas dos pés.

Cuidados com o corpo

A depiladora Clarice Pinheiro diz que a primeira depilação pode ser feita, em média, entre os 10 e os 12 anos, dependendo da necessidade de cada menina. “Costumamos usar cera quente no rosto, axilas e virilha. Essa cera, que não deve estar fervendo, deve ser de boa qualidade, como as feitas à base de mel. No buço, muitas optam pela depilação egípcia, feita com fio, pode ser mais delicada. Já nas pernas, indicamos o roll on. Na virilha, sugerimos apenas uma limpeza no excesso de pelos ou diminuir o volume com o uso da máquina”.

Outros métodos como o creme depilatório e as lâminas não são indicados por ela, já que podem machucar ou provocar alergia. E as sobrancelhas devem ser retiradas por um profissional, com cautela, eliminando também apenas o que estiver em excesso.

Mas não só os pelos que incomodam, para muitas meninas, desde cedo, as espinhas, estrias e celulites costumam ver as vilãs da boa aparência. Mas, felizmente, de acordo com a consultora em estética do Expert Beauty Center Chris Souza, esses problemas têm tratamento. “Para tratar a acne no rosto, indicamos um acompanhamento com limpeza de pele, feita incialmente uma vez por mês e depois que a pele estiver estabilizada, com sessões a cada quatro meses. Caso a acne seja hormonal e não cosmética, encaminhamos ela para um ginecologista, para que o tratamento seja feito em conjunto. Além da acne, todas precisam ter o cuidado de usar filtro solar diariamente, se possível, filtro físico, com fator de proteção solar 30 ou 40”.

J&aacute,; para o corpo, a opção é usar cosméticos livres de parabenos, com óleos vegetais (sem óleo mineral) para evitar as estrias e alguns procedimentos para combater as celulites, que só funcionarão se elas tiverem bo alimentação, sem muitos refrigerantes e fast food. “Nas estrias, podemos utilizar a micropuntura e a radiofrequência (sob indicação médica). Já para as celulites, a carboxiterapia (também sob orientação médica) e massagens como drenagem linfática ou a feita com o cellutec. Em todos os casos, os tratamentos são feitos somente após uma avaliação feita com as profissionais”.