Para complementar a própria renda e garantir um dinheiro extra no fim do mês, muitas mulheres, além de seus empregos em horário comercial, também se dedicam a outras atividades profissionais. São horas a mais de trabalho que fazem com que elas possam contribuir ainda mais com as contas da casa e da família ou tenham a possibilidade de guardar umas economias para poder realizar algum desejo de consumo mais especial.

Este é o caso da atendente de lotérica Renata Alcântara, de 23 anos. De segunda a sábado, seu trabalho é registrar apostas e efetuar pagamentos. Mas, nas noites de sexta-feira e de sábado, ela atua como recepcionista em uma casa de shows sertanejos. Apesar de sua rotina ficar mais puxada nesses dias, ela não se arrepende de suas escolhas. “Chega a ser bem cansativo, principalmente nos sábados, quando fico com pouco tempo para dormir. Mas compensa muito. Gosto de trabalhar à noite e ter contato com o público. E, financeiramente, chego a ganhar um extra que corresponde a cerca de 50% do meu salário normal”.

Satisfeita, Renata diz que pretende seguir com as duas atividades e tem planos para o dinheiro que vem guardando. “Como consigo conciliar, quero continuar com os dois trabalhos. Com a grana que venho economizando, pretendo fazer um curso de inglês ou espanhol no ano que vem”. Entre todas as opções possíveis de atividades que podem ser realizadas para complementar a renda, fazer recepção em eventos, como faz Renata, é uma das mais lucrativas, segundo a empresária Cláudia Tomasi, da agência Ônix Eventos e Promoções.

De acordo com ela, dependendo do perfil da mulher, do evento e das horas trabalhadas, a remuneração pode chegar a até R$ 200,00 por dia. “Temos muitos eventos em Curitiba, muitas vezes, acontecendo ao mesmo tempo. Assim, também são muitas as chances de ganhar dinheiro para quem encara o trabalho com seriedade e profissionalismo, seja em feiras, recepções ou até mesmo em panfletagens. As melhores e as mais comprometidas profissionais sempre têm trabalho”, explica.

Sucesso depende de boa administração

Apesar dos exemplos bem-sucedidos, ao optar por trabalhar fora do horário do expediente, as mulheres precisam ter alguns cuidados, como avaliar os prós e os contras para terem certeza se o trabalho extra compensa o esforço. Outro fator que precisa ser levado em conta é confirmar se estas atividades realmente trazem lucro depois de descontados os investimentos para realizá-las, como explica o economista Carlos Magno Bittencourt, conselheiro do Conselho Regional de Economia do Paraná (Corecon-PR).

“Mesmo trabalhando em casa, há despesas. Se for vender bolos ou salgadinhos, por exemplo, é preciso saber quanto custam os ingredientes, gás, luz, demais despesas envolvidas e número de horas necessárias para produção. Assim, fazendo um rateio dos gastos, ela consegue ter ideia do quanto precisa cobrar pelo produto ou serviço, que, além de qualidade, precisa ter um preço até menor do que o praticado pelo mercado para se tornar atrativo aos clientes”.

Conhecendo quais são as despesas e o quanto pode ganhar, o economista diz que também é preciso saber o que fazer com este dinheiro. “O que cada mulher vai fazer com estes valores vai depender de suas necessidades. Umas podem precisar deles para despesas pessoais, enquanto outras podem guardar para algum projeto especial. Mas todas precisam saber como lidar com esta renda extra”.

A recomendação, então, é fazer uma planilha que inclua o salário mensal, as despesas e os possíveis ganhos extras. “O ideal é organizar as finanças contando apenas com o salário, não contando com o dinheiro do trabalho extra, que é variável. Estes valores a mais a mulher pode guardar em uma caderneta de poupança, que é um investimento seguro e sem impostos. Caso as economias sejam maiores do que R$ 3 mil, uma op&,ccedil;ão mais rentável pode ser o Certificado de Depósito Bancário (CDB), contratado no banco com o gerente”.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook