O descobrimento de um tipo de célula do pâncreas capaz de criar outras que produzem insulina se revela como a solução dos diabéticos que dependem de injeções diárias dessa substância para manter equilibrados seus níveis de glicose no sangue. Os diabéticos dependentes de insulina devem aplicar determinadas doses pelo resto de suas vidas. Pesquisadores da Universidade de Toronto, em colaboração com outros cientistas canadenses, obtiveram resultados promissores com cobaias e conseguiram identificar as células que produzem a insulina. Tais células, denominadas “beta”, normalmente destruídas naqueles que sofrem diabetes, agora poderão ser produzidas em laboratório, fornecendo uma quantidade potencialmente ilimitada de células que produzem insulina.