Hoje, não é mais preciso viajar ao exterior para realizar um exame de diagnóstico preciso. O Brasil já está no mesmo nível que os países mais avançados do mundo na área de sistemas de diagnóstico por imagem. Por essa razão, os brasileiros podem fazer um exame com os melhores equipamentos e em pouquíssimo tempo.

Segundo o Dr. David B. S. Pares, diretor-superintendente do Lego (Laboratório Especializado Ginecologia e Obstetrícia) e professor do Departamento. de Obstetrícia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), há cerca de cinco anos não existe mais defasagem nos equipamentos para radiologia, nem deficiências de treinamento dos profissionais que operam os sistemas para diagnóstico aqui no Brasil:

“Os médicos especialistas têm feito diversos cursos no exterior, principalmente nos Estados Unidos e Europa. E os treinamentos dos profissionais, realizados no Brasil, também têm sido bem satisfatórios”, afirma.

A detecção precoce de doenças pode evitar o seu agravamento, além de propiciar tratamentos cirúrgicos curativos e cirurgias menos mutiladoras. Por exemplo, em um caso de câncer de mama detectado no início, com um bom tratamento cirúrgico a paciente pode ficar completamente curada sem precisar retirar a mama. Antigamente, como a detecção da enfermidade era mais tardia, por falta de equipamentos de diagnósticos rápidos e precisos, isso levava a cirurgias mais radicais.

Há casos de pacientes com câncer de mama que fizeram exames para diagnóstico, e mesmo assim a doença não foi detectada no estágio inicial, e sim quando já estava em estágio avançado. “O que pode ter acontecido, é que às vezes o diagnóstico não tenha sido muito preciso (por falta de equipamento adequado), ou que a doença tenha evoluído rapidamente após os exames iniciais”, explica Pares. Acrescenta que, “quanto menor a lesão, maior o resultado da quimioterapia; e, esteticamente, pode ser feita uma cirurgia menor”.

Check-up é fundamental
Para evitar o agravamento de doenças, é muito importante que as pessoas façam check-up, ao menos uma vez por ano. Os exames de diagnóstico mais importantes são:

* Para os homens: Ultra-sonografia da próstata; Raio-X de tórax (para fumantes); e Dopplerfluoximetria dos grandes vasos (aorta e carótida), para detectar obstruções pela arteriosclerose; 
* Para as mulheres: Mamografia anual (exame anual a partir dos 40 anos);Ultra-sonografia Endovaginal (exame anual a partir dos 40 anos), para detectar câncer de ovário e endométrico; e Densitometria Óssea (diagnóstico para osteoporose, contra fraturas patológicas).
Se a paciente tiver algum familiar do lado materno com quadro de câncer, terá de ser examinada mais freqüentemente, para evitar o câncer de mama (grupo de risco). “Vale ressaltar que o câncer de mama tem o fator genético. Como o código genético ainda está em estudo, em poucos anos poderemos detectar o câncer de mama com mais antecedência ainda, por meio do estudo do DNA de cada pessoa”, salienta Pares.

Bons hábitos
Além dos exames preventivos, há uma série de bons hábitos que contribui para a manutenção da saúde. Veja alguns exemplos.
O que evitar: 
* Carne de boi ou frango (tratado com o hormônio estrógeno) faz mal e pode ser cancerígena;
o Ingestão de hormônios.
Dicas de Saúde: 
* Alimentação com pouca gordura; 
* Comer legumes e verduras; 
* Fazer exercícios físicos. O levantamento de peso, por exemplo, é um tipo de exercício muito bom para prevenir a osteoporose. 
* Não fumar.

Um check-up completo tem: 
* Exames de sangue ? para avaliar dosagem de colesterol, triglicérides, glicemia etc. 
* Testes ergométricos; 
* Mamografia; 
* Ultra-sonografia; 
* Densiometria-óssea; 
* Coronário-tomografia ultra-rápida: para grupos de risco pacientes coronários pois mede a quantidade de cálcio nas artérias coronárias.