Cientistas israelenses criaram um computador com DNA como forma de alimentação das informações que consegue responder a perguntas simples de “sim” ou “não” e até problemas de lógica. O DNA é programado a liberar uma luz verde quando a resposta à pergunta é “sim”. A equipe que construiu o computador também tenta fazer um programa que ligue a programação de um computador e o código de DNA.

A equipe, coordenada por Tom Ran e Ehud Shapiro, do Instituto Weizmann, em Israel, vem desenvolvendo computadores baseados em DNA há muitos anos, incluindo um que consegue diagnosticar e tratar câncer de forma autônoma.

O novo sistema desenvolvido pelos cientistas usa moléculas para representar fatos e regras. Deste modo, a equipe conseguiu fazer com que o computador respondesse a questões moleculares. O sistema foi testado com proposições simples do tipo “se, então”.

Uma pergunta feita ao computador, por exemplo, é a questão “Todos os homens são mortais. Sócrates é um homem. Então, Sócrates é mortal”. Ao ler uma regra (todos os homens são mortais) e um fato (Sócrates é um homem), o sistema computacional de DNA consegue responder corretamente à questão. Depois, questões mais complicadas foram feitas ao computador, que também conseguiu respondê-las corretamente todas as vezes.

“Tivemos que fazer muitos experimentos para desenvolver, melhorar e calibrar o sistema computacional molecular, e sem o suporte robótico, jamais teríamos terminado o experimento”, afirma Shapiro.

Enquanto o trabalho ajudar a melhorar a tecnologia para a computação molecular programável, Shapiro afirma que a maior aplicação para o computador são programações autônomas que possam operar em um ambiente biológico. Ou seja, computadores que possam agir de dentro de células.