A Dimep Sistemas de Ponto e Acesso desenvolveu e tem implantado em diversos condomínios brasileiros o Software Gerenciador Realtime que permite controlar o número de pessoas e de veículos que estão presente num condomínio, em tempo real.

O controle pode ser feito utilizando sistemas de leituras diversas, entre elas crachás com código de barras, magnético, de proximidade ou ainda por impressão digital – o coletor de dados que instantaneamente identifica, faz a análise de possibilidade e, em seguida, confirma ou não a entrada do usuário.

Através da instalação de bloqueios de catracas, portas, cancelas e toniquetes o síndico pode utilizar o software para administrar o fluxo de pessoas na entrada, por andar ou até mesmo no apartamento, garantindo desta forma, que somente o usuário cadastrado tenha acesso ao interior do edifício ou garagem. Este sistema pode ser adaptado aos mais diversos ambientes, como por exemplo, prédios comerciais, edifícios residenciais, indústrias e órgãos públicos, possibilitando assim, um largo espectro de usuários.

Alguns clientes
Condomínios dos Edifícios: São Miguel, Mikonos, Dom Pedro I, Jamil, Salibá, Monumento, Uffício, Jaú Guaratinguetá, Amazonas Center (todos na capital de São Paulo), Banco Mercantil (Av. Paulista) e em diversos lugares espalhados pelo Brasil, destacando-se, por exemplo o VI Comar e o Annel, em Brasília.

Líder no segmento
A Dimep Sistemas de Ponto e Acesso é líder no setor de relógios e controles de acesso no Brasil e em Portugal, com cerca de 65% do mercado nacional. A empresa, que está no mercado há 66 anos, possui filiais e concessionárias com estrutura de venda e assistência técnica em todas as capitais e grandes cidades.

Atualmente, boa parte do seu faturamento é destinado para área de sistemas e pesquisas, sendo que 95% de seus produtos são desenvolvidos nos laboratórios da empresa, certificada pela ISO 9001. A Dimep fechou o ano de 2001 com um faturamento de R$ 30 milhões – 17,5% a mais que no ano anterior e 8,5% vieram da área de sistemas. A expectativa é que em quatro anos a Dimep possa estar faturando R$ 80 milhões e que, de 20% a 30% desse valor, venha da área de sistemas.