Rio – A empresa Eco Hydro Energy e pesquisadores do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) apresentaram hoje (17) no Rio o protótipo de uma turbina flutuante para geração de energia que dispensa a construção de barragens e, conseqüentemente, a inundação de áreas próximas. O projeto, chamado Eco Hydro, foi apresentado como grande inovação para a geração de energia no futuro, já que dribla o acirramento das restrições ambientais que, recentemente, deixaram de fora do leilão de energia nova promovido pelo governo algumas das maiores hidrelétricas em estudo no País.

O protótipo está em estudo há cerca de 2 anos e gera atualmente 7,6 quilowatts-hora (KWh) em Itabirito, na região central de Minas Gerais, mas há estudos que comprovam a eficácia da turbina para a geração de até 240 megawatts-hora (MWh), volume equivalente ao consumo de uma cidade como Belo Horizonte, explicaram os cientistas da Cefet. O tamanho do equipamento e a quantidade de energia gerada dependem da velocidade da correnteza do rio em que será instalado.

Composta por um cilindro com diversas pás, que gira impulsionado pela força das águas, a turbina pode ser instalada sobre flutuadores ou acoplada a uma balsa ancorada no fundo do rio e não precisa de canalização de água, como ocorre em hidrelétricas convencionais. O projeto foi desenvolvido pelo austríaco radicado no Brasil Johann Hoffmann e testado pela Cefet. Os inventores garantem que o projeto pode ser uma alternativa também para a eletrificação de áreas isoladas, que hoje no Brasil geram energia a óleo diesel ou óleo combustível.

Segundo os cálculos do Cefet, o custo de construção da turbina gira em torno de US$ 450 mil por MWh, metade do estimado para a construção de uma usina a gás e quase 1/3 do custo de construção de uma hidrelétrica convencional. Já o custo de operação é estimado em US$ 15 por MWh, enquanto seu concorrente mais próximo, a energia nuclear, sai a US$ 25 por MWh. A energia hidrelétrica, por sua vez, tem custo de operação em torno dos US$ 50 por MWh.

A Eco Hydro Energy agora pretende fazer o lançamento no Canadá e na Inglaterra para despertar o interesse de parceiros interessados em construir as turbinas para uso comercial. Os especialistas envolvidos no projeto acreditam que grandes consumidores de energia seriam parceiros em potencial. O representante da companhia no Brasil, Frank de Luca, diz que a construção pode ser feita por qualquer empresa que tenha capacidade para trabalhar com aço. A tecnologia foi patenteada pelos inventores.