Um novo tratamento para a presbiopia, doença popularmente conhecida como ?vista cansada?, vem sendo realizado em Curitiba, tornando possíveis ações como leitura ou mesmo ver as chamadas no celular sem dificuldades. A doença que enrijece o cristalino do olho, afetando praticamente todas as pessoas com mais de 40 anos, vem sendo tratada através de cirurgia refrativa a laser – com o equipamento chamado Allegretto Eye-Q Laser – que altera a curvatura da retina. Segundo o diretor do Instituto Oftalmológico de Curitiba (IOC), Luiz Geraldo Simões de Assis, introdutor da técnica no Brasil desde dezembro do ano passado, há somente um aparelho como esse no País até o momento. ?O único em atividade está em Curitiba. Já realizamos o tratamento em aproximadamente 400 pacientes?, afirma.

Ele afirma que esse tratamento de presbiopia altera a asferecidade da córnea e permite que a pessoa possa enxergar tanto de perto quanto de longe, sendo induzido um pequeno grau de miopia no olho não-dominante. Esse procedimento, diz Assis, não compromete a qualidade de visão. ?Menos de 3% precisam usar óculos para corrigir o grau induzido?, afirma.

Segundo Assis, o novo laser utiliza recursos que permitem o mapeamento da córnea, detectando suas imperfeições e as corrigindo, num processo cirúrgico personalizado. O paciente é submetido a vários exames. Em um deles, utiliza-se um aparelho chamado Wavefront que projeta raios de luz no olho do paciente, calcula as distorções oculares e gera informações que serão transferidas para o laser, que as utilizará no momento da cirurgia. ?Desse modo, é corrigido o grau e são minimizadas outras imperfeições ópticas que foram identificadas?. Assis afirma que 58% dos pacientes submetidos à cirurgia tem uma melhora que supera até mesmo a visão ideal.

Outros tratamentos

Atualmente, a presbiopia vem sendo tratada com implantes de lentes intraoculares, em procedimento similar ao de cirurgia, ou mesmo com o uso de óculos. Há também um modo convencional de cirurgia a laser conhecido como ?monovisão?, em que se induz um grau de miopia no olho não-dominante. ?Essa cirurgia refrativa é um procedimento similar e anterior ao que estamos fazendo. O grau induzido é maior que o realizado com o novo tratamento?, explica.