Na Ásia, de onde é originário, o mosquito Aedes albopictus é um importante vetor de arboviroses. Desde a década de 80, essa espécie, que pode transmitir a febre amarela ou a dengue, deixou os países asiáticos e passou a viver também em outras partes do mundo. Ela chegou à América em 1985 e, no Brasil, em maio de 1986. Desde então, o potencial vetor de doenças se multiplicou por diversos estados brasileiros. No Amazonas, segundo artigo científico publicado na edição de outubro da Revista de Saúde Pública, editada pela Universidade de São Paulo, o mosquito surgiu em 1996. Agora em 2003, pela primeira vez na história, o Aedes albopictus foi encontrado na cidade de Manaus. Apesar do controle que existe sobre o gênero Aedes, essa nova espécie conseguiu sobreviver e se dispersar pelo território brasileiro. Segundo a autora do trabalho, Roseli La Corte dos Santos, do Centro Nacional de Epidemiologia da Fundação Nacional de Saúde, a grande adaptação da espécie aos diferentes tipos de ambientes pode tornar o mosquito uma ponte entre os ciclos silvestres e urbanos de doenças como a febre amarela. Embora ainda não se conheça o papel dessa espécie encontrada em Manaus na transmissão da dengue nas Américas, os cientistas sabem que ela transmite a doença na Ásia. Por isso, a ocorrência inédita requer uma atenção especial. (Agência Fapesp)