O barco pesqueiro Natureza, de propriedade do Centro de Pesquisas e Gestão de Recursos Pesqueiros do Litoral Nordeste, é o protagonista da descoberta de novos moluscos. A velha embarcação foi projetada para pesca e não para a pesquisa científica. Mesmo assim, a poderosa draga instalada sobre ela conseguiu trazer preciosidades do fundo do litoral nordestino, em várias expedições realizadas ao longo de quatro anos.

“Os resultados apontam para, pelo menos, 20 novas espécies de caracóis. Depois de finalizada a análise de todo o material devem surgir até mesmo gêneros inéditos”, disse José Carlos Barros, professor do Departamento de Pesca da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Entre as novidades estão espécies ainda não descritas, pertencentes aos gêneros Athepra, Columbella e Fulgurofusus.

O resultado não chegou a surpreender os pesquisadores, pois os arrastos com fins científicos são feitos ao longo de grande parte do Nordeste. “O desconhecimento dessa fauna de moluscos que vive sobre o talude continental, entre 200 metros e 1,2 mil metros de profundidade, é muito grande. Toda vez que se jogar a draga para arrastar sobre o fundo do mar é bastante provável que novas espécies sejam descobertas”, explicou Barros. Segundo o cientista pernambucano, grande parte dos moluscos encontrados está em microconchas com menos de 5 milímetros de altura.