O Paraná foi classificado como o quinto estado brasileiro que mais produz e trabalha com softwares e serviços ligados à Tecnologia da Informação (TI), os quesitos que classificaram o Estado nessa posição envolviam faturamento, exportação e produção de softwares. Tais informações foram apresentadas na última semana, no lançamento do primeiro volume da publicação Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva, desenvolvido pela Softex, entidade que trabalha na ampliação da atuação de empresas brasileiras de softwares no mercado nacional e internacional.

O estudo ainda não apresenta dados específicos sobre os estados brasileiros, mas pode ser aperfeiçoado após o seu lançamento. “Estados como São Paulo e Rio de Janeiro lideram esse ranking, mas temos percebido que ultimamente os estados da região sul estão se destacando. Em Curitiba, por exemplo, o forte da TI é a capacitação. Por conta disso, poderemos ter surpresas muito positivas nas próximas edições da publicação”, afirma a gerente de projetos da Softex, Virgínia Duarte. “Estamos na quinta posição, mas acredito que devemos correr atrás de melhores resultados. Temos vocação para isso”, ressalta a Maria Tereza Anastácio, gerente de educação certificada da Cits, uma das 20 empresas agentes da Softex.

No Paraná, Virgínia destaca cidades como Curitiba, Londrina, Maringá, Cascavel e Pato Branco como líderes na atuação de TI. “Essas cidades são grandes pólos da TI do Paraná. São núcleos onde as atividades envolvendo a tecnologia e desenvolvimento de softwares acontecem”, diz.

Outro ponto destacado pela gerente envolve a quantidade de profissionais da área. Se a situação permanecer como a constatada pelo estudo, com dados colhidos entre 2003 e 2006, faltarão profissionais capacitados no futuro. “Com base nos dados provenientes do CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), constatamos que irão faltar aproximadamente 140 mil profissionais de TI em 2013 em todo o Brasil”, adianta Virgínia.

Para o vice-presidente executivo da Softex, Arnaldo Bacha de Almeida, o estudo inédito trará inúmeras melhorias para o futuro da TI no Brasil. “Pela primeira vez existe um estudo baseado em dados oficiais. Isso mapeia o setor em todo o Brasil e permite o crescimento da TI através de ações e políticas públicas, pois, com essa publicação, o empresariado pode enxergar onde é possível e mais vantajoso investir” destaca. Segundo ele, o livro também apresenta a história da TI no Brasil, onde é possível avaliar o desenvolvimento do setor ao longo dos anos, bem como indicadores da indústria, número de empregados, assalariados e distribuição de recursos, dentre outros dados.