A candidíase vulvovaginal é um dos maiores problemas ginecológicos de mulheres em idade reprodutiva. A doença é causada pela inflamação da mucosa genital. Até pouco tempo atrás, acreditava-se que apenas um tipo de fungo, a cândida, causasse o problema. Mas uma pesquisa da Universidade Estadual de Maringá (UEM) aponta que existem outros agentes por trás da candidíase e a maioria deles é mais resistente aos tratamentos hoje aplicados. Estima-se que 75% das mulheres adultas já tenham tido a doença pelo menos uma vez na vida. Metade delas possuem novos surtos e 5% se tornam recorrentes.

A professora Terezinha Svidzinski, do Departamento de Análises Clínicas da UEM, explica que o estudo visava a descoberta de outros tipos de fungos que pudessem causar a candidíase. ?A pesquisa chegou à conclusão de que existem outras espécies. Entre as analisadas, se detectou uma levedura benigna presente em fermentos. Ainda não se sabe como ela ocasionou o problema?, afirma. A pesquisa também analisou se as leveduras eram resistentes aos tratamentos utilizados. ?Conforme mudam as espécies, mais resistentes elas são. Estão em um nível intermediário, quando é preciso uma dose maior para obter respostas?, comenta Terezinha.

O estudo utilizou amostras de 130 pacientes em Jaraguá do Sul (Santa Catarina) e de Maringá. Verificou-se que a incidência foi de cerca de 24% nos dois municípios. Na cidade catarinense, 77,4% dos casos positivos estavam relacionado com a cândida albicans, a mais comum encontrada em mulheres. Já em Maringá, em 50% dos casos foi encontrado o mesmo agente. ?Ainda não se sabe a razão, mas a região onde essas mulheres moram pode influenciar em alguma coisa. Publicamos esta pesquisa na revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, em fevereiro deste ano, para despertar a curiosidade de outras pessoas para também descobrirem o porquê?, conta.

A maioria das mulheres é colonizada por essas leveduras, que vivem na flora vaginal normalmente. Terezinha revela que o uso de roupas sintéticas, como meiacalça de nylon, o uso de alguns métodos anticoncepcionais e os hábitos alimentares podem ajudar no surgimento da doença. Ela espera que a pesquisa estimule a realização de exames de confirmação laboratorial para determinar a espécie do fungo e a resposta dele aos tratamentos. Os sintomas da candidíase são coceira e irritação. A mulher também pode apresentar uma secreção branco-leitosa e dores no ato sexual. Ainda não é possível saber se a doença pode causar infertilidade.