Não está à altura de uma cena de Jornada nas Estrelas, mas equipes de cientistas anunciaram durante a semana que fizeram propriedades de um átomo saltarem para outro, sem contato físico. Noutra palavra: teletransporte. Físicos dos Estados Unidos e da Áustria disseram que, pela primeira fez, teletransportaram “estados quânticos” – o que inclui propriedades físicas como energia, movimento e campo magnético – entre átomos separados. O avanço nem de longe torna possível para uma pessoa desaparecer num lugar e reaparecer noutro, como personagem de programas de ficção televisivos, mas pode ajudar no desenvolvimento da chamada “computação quântica”, uma tecnologia que pode resultar na produção de computadores ultra-rápidos. Dois anos atrás, cientistas da Universidade Nacional da Austrália anunciaram o teletransporte de um feixe de laser de um ponto para outro numa fração de segundo. Blatt, seus colegas e um outro grupo do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia dos EUA, em Boulder, no Colorado, relataram o primeiro teletransporte de átomos em dois artigos publicados na edição desta semana da revista científica britânica Nature.