As tumbas de pelo menos 50 membros da célebre família Medici, de Florença, na Itália, serão abertas para que se possa estudar seus esqueletos. O objetivo é reconstituir o estilo de vida dos séculos XV ao XVIII. A investigação terá início em junho e deverá durar dois anos. Os especialistas buscarão informações sobre alimentação, doenças, costumes e causas das mortes dos Medici. O estudo será realizado por especialistas italianos e norte-americanos e cobrirá do mercenário Giovani dalle Bande Nere (1449-1492) a Gian Gastone de Medici (1671-1737). A família Médici governou Florença de meados do século XV até 1737, dominando a vida política, social e cultural da cidade, integram o acervo.