Foto: Alan Rodrigues
Igreja de São Francisco de Assis, na Lagoa da Pampulha; ao fundo, os Estádios Mineirão e Mineirinho.

Outro grande potencial eleva ainda mais a competitividade da capital mineira na busca por turistas: a oferta de variados e interessantes destinos no seu entorno.

A capital é o portão de entrada para as cidades históricas de Minas, como Ouro Preto, Congonhas, Sabará, Tiradentes, Catas Altas e São João del Rei – só para citar as mais conhecidas -, que recebem muitos grupos de turistas estrangeiros, provenientes da França, Itália, Alemanha, Espanha, Portugal, entre outros países.

Além disso, lugares como o distrito de Macacos, Lavras Novas e a Serra do Cipó, que têm atraído centenas de turistas de todo o País, principalmente do Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e estados do Sul, são ótimos para a prática do turismo ecológico e de aventura.

Os atrativos gastronômicos e culturais de BH e os naturais do seu entorno colaboram para alavancar a principal vocação da cidade: o turismo de negócios. Além de ser agradável e com geografia privilegiada, Belo Horizonte apresenta fácil deslocamento interno, é bem sinalizada e tem boa infra-estrutura de transporte.

Foto: Geraldo dos Anjos
Distritos da capital atraem turistas para a prática do ecoturismo e turismo de aventura.

A capital conta com um parque hoteleiro com mais de dez mil apartamentos e 16 mil leitos distribuídos por hotéis que vão dos mais simples até os cinco estrelas. Além disso, a cidade conta com mão-de-obra qualificada e apresenta pequenas distâncias entre os hotéis e os centros de convenções, que estão entre os mais modernos do País.

As obras de ampliação do Expominas – principal espaço de eventos da capital mineira – o transformou em um dos mais modernos e bem-estruturados centros de feiras e convenções do Brasil. No total, são 72 mil metros quadrados de área construída, divididos em três pavilhões, salão multiuso, espaço para montagens externas e estacionamento.

Eventos e campanhas

Toda essa demanda pela realização de turismo de negócios em Beagá se deve, em grande parte, à atuação do Belo Horizonte Convention & Visitors Bureau – que em 2007 completou 10 anos de existência -, sempre com o apoio e empreendedorismo do trade e dos governos estadual e municipal.

Durante todo este período, o trabalho realizado pela entidade foi um dos principais catalisadores para a arrancada de BH rumo à excelência no turismo de negócios. E os números comprovam: nestes 10 anos de atuação, foram captados mais de 230 eventos nacionais e internacionais, de pequeno, médio e grande portes, responsáveis por trazer a Belo Horizonte um número aproximado de 400 mil turistas.

A entidade também criou uma série de campanhas para valorização da cidade, como ?Eu amo BH radicalmente?, ?BH 360º?, e, mais recentemente, ?BH é o lugar pra gente se encontrar?. Nessas e em todas as outras ações, os benefícios foram grandes para os setores de hotelaria, gastronomia, transporte, lazer, comunicação, montagem de eventos, entre outros. O turismo, principalmente o de eventos, é uma atividade que movimenta mais de 52 nichos de mercado, em diferentes segmentos econômicos, com reflexos a curto, médio e longo prazos para a economia e arrecadação fiscal do município. ?Para se ter idéia, o índice de ocupação na rede hoteleira de Belo Horizonte – hoje muito mais desenvolvida – é de mais de 65%, com picos constantes de lotação máxima, o que deixa claro o ritmo de crescimento do setor?, comenta Paulo Azevedo, superintendente executivo do Belo Horizonte Convention and Visitors Bureau.