O Brasil é o melhor destino para aventureiros e apaixonados por esportes radicais em 2009. Esta é a opinião dos editores da revista National Geographic Adventure, com mais de 2,4 milhões de leitores no mundo, que chegou às bancas nos Estados Unidos e Canadá na semana passada.

Além do Brasil, apenas o Nepal recebeu o título. “O Brasil foi selecionado por suas consistentes melhoras na infra-estrutura, que conta com transporte facilitado para o coração da Amazônia, a vida selvagem do Pantanal e outros incontáveis lugares escondidos entre praias de areia branca”, explica Brian Kinkade, diretor de viagem e turismo da National Geographic Adventure.

Com uma das maiores biodiversidades do planeta, o Brasil ocupa um território de 8,5 milhões de quilômetros quadrados em região tropical. Entre os principais roteiros de aventura do País estão: Amazônia, Chapada Diamantina, Chapada dos Veadeiros, Chapada dos Guimarães, Estrada Real, Fernando de Noronha, Florianópolis, Foz do Iguaçu, Mata Atlântica, Jalapão, serra gaúcha, Lençóis Maranhenses, Pantanal, entre outros.

Aventura lucrativa

Segundo a Abeta (Associação Brasileira das Empresas de Turismo de Aventura), a indústria de Turismo de Aventura é responsável por quatro milhões de turistas (entre brasileiros e estrangeiros) no Brasil, representando um faturamento médio anual que deve superar R$ 490 milhões neste ano.

O mercado já conta com mil empresas espalhadas nos principais pólos de aventura do País. Estima-se que o turismo dos esportes de aventura apresente crescimento entre 15% e 20% ao ano.

De acordo com a Demanda Turística Internacional, estudo realizado pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) para a Embratur, 19,5% dos turistas estrangeiros que visitaram o País a lazer em 2006 disseram terem escolhido o País por motivo de “natureza, ecoturismo ou aventura”.