Sassá
O rapel na cachoeira
é o preferido entre os mais aventureiros.

Se embrenhar por matas fechadas, andar por dentro de rios, descer cachoeiras pendurados por cabos e cavalgar por terrenos cheios de obstáculos. O que para uns pode parecer tortura, na Chapada dos Veadeiros é pura adrenalina e um dos principais motivos que levam milhares de turistas a esse santuário ecológico, situado na região central do Brasil. Mas a Chapada não é só um cenário perfeito para as aventuras mais radicais. O local tem chamado a atenção de turistas de todas as idades e propósitos por ser também um recanto para a pura contemplação, reconhecido pela ONU como reserva da biosfera. Basta gostar muito da natureza para escolhê-la como destino e querer voltar para lá.

Dizer que o local é um tesouro natural iluminado não é nenhum exagero. Uma pesquisa feita pela Nasa revela que a Chapada dos Veadeiros é o ponto de maior luminosidade visto da órbita da Terra. A explicação para isso é à grande quantidade de cristais de quartzo e de outros metais e minérios que afloram do solo. Esse fato conferiu um clima de misticismo à Chapada, atraindo místicos, alternativos, curiosos e turistas.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, criado em 1961, continua sendo o principal chamariz. Considerado pela Unesco como Patrimônio Natural da Humanidade, o parque é um espaço propício para a prática do ecoturismo, feito de maneira ecologicamente correta, com o monitoramento de guias treinados, que podem ser encontrados em Alto Paraíso ou no povoado de São Jorge, vizinho ao parque. Está localizado em altitudes que variam de 1,3 mil a 1,5 mil metros, que atuam como divisores de água das bacias dos rios Maranhão e Paraná.

Mas as atrações naturais estendem-se muito além dos limites dessa tão importante reserva. A Chapada dos Veadeiros tem uma área de 4.492 quilômetros quadrados, onde estão distribuídos elementos diversos, entre cachoeiras, canyons, rios, trilhas, montanhas e caminhos de flores, formando cenários deslumbrantes distantes poucos quilômetros entre eles.

Depois do Parque Nacional, entre os atrativos mais conhecidos e apreciados da Chapada estão Vale da Lua (trilha pelo Rio São Miguel), Cataratas do Rio dos Couros (o mais impressionante conjunto de quedas da região), Almécegas (rio e cachoeira para rapel), Sertão Zen (trilha) e Cachoeiras dos Anjos e Arcanjos (com poços para banho), todos em Alto Paraíso.

Aos poucos, os turistas estão descobrindo outros recantos que vêm se despontando também como atrativos importantes. É o caso de Pratinha, Ponte de Pedra e Cachoeira Santa Bárbara e Capivara, no Sítio Histórico Calunga, município de Cavalcante, e o passeio do abismo, na Vila de São Jorge.

Estrutura

A Chapada se estende por cinco municípios: São João da Aliança, Teresina de Goiás, Cavalcante, Colinas do Sul e Alto Paraíso (e seu principal distrito, a Vila de São Jorge, situado a 35 quilômetros do centro). Todos eles têm potencial turístico, porém, Alto Paraíso, a Vila de São Jorge e, mais recentemente, Cavalcante, é que oferecem melhor infra-estrutura, com pousadas, hospedarias e restaurantes.

Se por um lado nem todos os municípios que formam a Chapada dos Veadeiros tem uma estrutura de hospedagem adequada, não falta preparo quando o assunto é esportes radicais. Desde as mais leves caminhadas alternadas com refrescantes banhos de cachoeira até cavalgadas, mountain biking, rapel, off-road, canionismo e o cascading (rapel de cachoeira), todas as atividades são acompanhadas por profissionais e contam com equipamentos, logística e transportes específicos.

Mais um motivo para fazer da Chapada o cenário mais-que-perfeito para peripécias na terra e na água.