Quem já foi pensa que é até modéstia chamar o lugar de Bonito. “É muito mais do que Bonito, é lindo”, diz a maioria. A cidadezinha sul-mato-grossense de cerca de 20 mil habitantes, situada a 280 quilômetros de Campo Grande, dentro da Serra da Bodoquena, impressiona pelo cenário natural.

Concentra em uma área de menos de cinco mil quilômetros quadrados, rios, cachoeiras, bosques, cavernas e muita mata, deixando ávidos principalmente os turistas que saem dos grandes centros à procura de contato com a natureza.

Uma das vantagens é que o clima, sempre quente, possibilita turismo o ano todo. Shorts, camiseta e chinelos (ou tênis, dependendo da atividade) é o vestuário que o turista vai precisar em Bonito.

Tudo na maior descontração para contemplar e também interagir ao máximo com a natureza. É bom lembrar que interação é palavra de ordem, mas também tem um limite bem definido, já que, no local, mais importante que o turismo é o turismo sem danos ao meio.

Apesar de pequeno, o município de Bonito é um destino consolidado, que prima pelo ecoturismo consciente e serviços de guias especializados. Eles orientam os turistas na prática das diversas atividades oferecidas, como as trilhas pelas matas, as incursões pelas grutas, o mergulho debaixo das cachoeiras, o rapel em cavernas e tantas outras.

Para receber os visitantes, a cidade conta com uma rede de hotéis e pousadas de categorias diversas que somam mais de 4 mil leitos. Entre eles está um hostel (albergue da juventude), o Bonito Ecological Hostel, que oferece diárias a partir de R$ 30 para não alberguistas em quarto coletivo de até seis pessoas. Alberguistas, ou seja, quem é associado à rede HI Hostel (www.hihostel.com.br), pagam a partir de R$ 25 para hospedagem em quartos coletivos.

Quem gosta de se hospedar em estruturas de resort tem como opção o Zagaia Eco Resort Bonito (www.zagaia.com.br), que oferece diária a partir de R$ 443,05 por casal, incluindo café-da-manhã e jantar (este preço é para mínimo de duas diárias).

O turismo gastronômico também tem lugar em Bonito. Muitos dos restaurantes oferecem a culinária regional, em que se destacam os pratos com peixe de água doce e as carnes exóticas, como o jacaré. Quem ainda tiver fôlego para aproveitar a vida noturna de Bonito depois de um dia inteiro de atividades em meio à natureza pode optar pelos diversos bares e conhecer algumas das festas temáticas.

Difícil ficar longe da água

Rico
Gruta do Lago Azul: ícone também é lugar de mergulho.

Bonito é um grande aquário natural. A quantidade de rios, cachoeiras, nascentes e piscinas naturais da região da Bodoquena tornam impossível ao turista ficar muito tempo longe da água, o que é também um alívio diante das altas temperaturas.

Por isso mergulho é uma das atividades prediletas pelos turistas. Que tal mergulhar em uma caverna? É o que possibilita a Gruta do Lago Azul, uma das maiores cavidades inundadas do País – tem 80 metros de profundidade. Um mundo subaquático muito colorido espera os aventureiros que enxergam tudo com muita facilidade devido à cristalinidade da água.

A Baía Bonita é outro aquário natural. Visitantes de todo o mundo são atraídos pela transparência de suas águas, repletas de cardumes de peixes de mais de 30 espécies diferentes, que estão sempre ali, quase ao alcance das mãos. A infra-estrutura abrange restaurante, museu de historia natural, loja de artesanato e piscinas para treinamento. Outra atração neste ponto é o passeio pela Trilha dos Animais.

Existem pontos de observa&c,cedil;ão pelo caminho e dá para ver emas, jacarés, cervos-do-Pantanal, lobos-guarás, entre outros. Informações: www.baiabonita.com.br.
Boca da Onça Ecotur é um passeio em que o turista percorre uma trilha pela mata preservada, passando por cachoeiras cristalinas, pelo cênico Rio Salobra, por pontos de banhos em piscinas naturais e pela mais alta cachoeira do estado: a Cachoeira Boca da Onça, com 156 metros de altura. É uma boa dica para os aventureiros radicais, pois possibilita o rapel de 90 metros de altura.

Boca da Onça, a mais alta do estado, e sua piscina natural para banhos.

O receptivo oferece duas piscinas de água corrente com peixes típicos da região que nadam junto com o visitante, além de hidromassagem e ducha naturais. Informações: www.bocadaonca.com.br.

Outro cenário de beleza exuberante é o formado pelas Cachoeiras do Rio do Peixe, situado na Fazenda Água Viva. Rios de águas límpidas, cachoeiras ornamentais, inúmeras piscinas naturais, uma fauna com macacos, araras, tucanos, entre outros.

O turista pode relaxar nas duchas das cachoeiras, aventurar-se entre os cardumes de peixes das piscinas naturais e depois saborear um típico almoço sul-mato-grossense, preparado pela proprietária da fazenda. Para finalizar o dia, no final da tarde é servido um tradicional lanche.

Quem aprecia a flora e a fauna, o Bonito Aventura é imperdível. O passeio tem início com uma trilha interpretativa de 1.800 metros, onde o visitante pode observar uma grande variedade de palmeiras, bromélias, árvores nativas, pássaros de todas as cores e tamanhos e animais silvestres como cotias, macacos prego e tatus.

Após a caminhada, inicia-se o mergulho livre de 2.200 metros pelas águas cristalinas, cheias de troncos submersos no Rio Formoso. Informações: www.bonitoaventura.com.br.

Bonito oferece cenários e trilhas para quem gosta de cavalgar. Entre as opções estão a cavalgada do Rio Sucuri, a da Estância Mimosa, no Parque Ecológico Rio Formoso e a do Recanto Ecológico Rio da Praia, entre outras.

Mais informações sobre os atrativos turísticos e atividades oferecidas em Bonito podem ser obtidas no site do Conselho Municipal de Turismo de Bonito -www.bonito-ms.com.br.