Os interessados em viajar para a África do Sul em 2010 para assistir aos jogos do Brasil na Copa do Mundo já podem adquirir os pacotes. São seis as operadoras credenciadas pela Fifa para comercialização dos produtos no País – Stella Barros, Pallas, Agaxtur, Marsans, Ambiental e Top Service Incentive e Travel.

Esta última será responsável pela venda exclusivamente para empresas que desejarem adquirir pacotes a fim de presentear funcionários, parceiros ou fornecedores como forma de incentivo.

O anúncio das operadoras foi feito na semana passada em Curitiba por representantes Match Services AG, empresa com sede em Zurique, na Suíça, contratada pela Fifa até 2014 para formatação e venda dos pacotes da Copa no Mundo.

Esteve também no evento uma delegação da África do Sul, com representantes de Johannesburgo e do Departamento de Esporte, Arte, Cultura e Lazer da província sul-africana de Gauteng, pólo econômico e político do país, que sediará 36% dos jogos.

A expectativa da Fifa é a de que o evento atraia 450 mil turistas estrangeiros e que a audiência de TV acumulada signifique 26,29 bilhões de espectadores. O jogo da final do campeonato deve ser assistido por 715,1 milhões de pessoas.

A meta das operadoras é levar cerca de 8 mil brasileiros para a África do Sul, sendo cinco mil do mercado corporativo (turismo de incentivo). Na Copa do Mundo da Alemanha, em 2006, 9 mil brasileiros foram acompanhar os jogos de perto.

Os pacotes

Os safáris para avistar a curiosa vida selvagem ainda são a atividade que mais atrai e encanta turistas no país.

Para a Copa 2010 estão sendo comercializados quatro tipos de pacotes, que incluem partes aérea e terrestre (hospedagem e transfers), além de ingressos exclusivamente para os jogos do Brasil.

Um deles inclui os três primeiros jogos (primeira fase do campeonato), o outro é para os quatro últimos jogos, o terceiro pacote é para os três últimos jogos (quartas-de-final e final) e há também o Copa Total, que inclui os sete jogos do Brasil. Os interessados podem optar por 12, 18 ou 32 noites.

Os preços da parte terrestre variam entre US$ 9.853 e US$ 20.545 por pessoa, com hospedagem em apartamento duplo com café-da-manhã. A parte aérea custa US$ 1.415 por pessoa mais taxa de embarque de US$ 190.

Os ingressos custam a partir de US$ 160 mais 10% de taxa de manuseio e 20% de taxa de serviço da Fifa, totalizando o mínimo de US$ 211,20 para o ingresso mais barato. O mais caro vai custar aproximadamente US$ 1,5 mil. Eles não podem ser vendidos separadamente.

A parte terrestre pode ser paga 10% à vista e o restante em até 18 meses para quem fechar o pacote até outubro deste ano. Para o mercado corporativo, o preço é diferenciado.

Os pacotes são de uma semana e custam cerca de US$ 9 mil por pessoa, incluindo hospedagem com meia-pensão, aéreo, city tours e ingresso vip, que dá acesso a camarotes fechados. Os preços dos pacotes ainda podem sofrer reajustes.

Os operadores de turismo destacam que não haverá devolução de dinheiro nem mesmo substituição de ingressos para outros jogos no caso de o Brasil não continuar até o final do campeonato.

Cidades-sedes

A próxima Copa do Mundo acontecerá entre os dias 11 de junho e 11 de julho de 2010, com a participação de 32 delegações. Nove serão as cidades-sedes do campeonato que terá 64 jogos em 10 estádios: Pretória (a capital) e Johannesburgo, ambas na Província de Gauteng; Durban, Porto Elisabeth, Cidade do Cabo, Bloemfontein, Nelspruit, Polokwane e Rustenburg. Os maiores estádios estão em Johannesburgo, o Soccer C,ity, com capacidade para 94,7 mil espectadores, e o de Durban, para 70 mil.

Com exceção da Top Service Incentive e Travel, que fará venda direta às empresas, as demais operadoras disponibilizam os pacotes por meio de agências de viagens autorizadas.

Mais informações: www.stellabarros.com.br, www.pallastur. com.br, www.marsans.com.br, www.ambiental.tur.br, www.agaxtur.com.br e www.topservicetur.com.br ou consulte seu agente de viagens.

Um pouco sobre Gauteng

A província que sediará a maior parte dos jogos da Copa do Mundo 2010 na África do Sul, incluindo os de abertura e a grande final, é a menor das nove províncias em área, porém, a maior em população (8 milhões de habitantes) e representa a quarta maior economia do país. Gauteng concentra as principais cidades, como a capital Pretória e Johannesburgo, e é considerada o maior pólo político e econômico sul-africano.

São 11 os idiomas oficiais da província, dentre eles o inglês. A moeda é o rande (US$ 1 = 8,12 randes). A taxa de imposto é de 14% sobre os produtos e pode ser reembolsada para estrangeiros nos principais aeroportos do país.

Gauteng tem o maior aeroporto internacional, o O.R. Tambo, que deve ser o portão de entrada de 90% dos visitantes durante o campeonato. A província é um destino consolidado de esportes competitivos. Já foi sede de campeonatos internacionais como de rugby, atletismo e cricket e, em junho do ano que vem, será sede da Copa das Confederações.

Turismo

Para o turista, a região tem a oferecer muitas opções de lazer e entretenimento, entre eles cassinos, teatros, clubes de jazz, bares e restaurantes diversos e até estabelecimentos gay friendly.

Além disso, a história do país está contada em mais de 60 museus, como o do Apartheid, e há outros atrativos como a cratera Tswaing, o Mercado de Artes e as galerias.

As atividades campestres são as que mais encantam os turistas. Além dos famosos safáris, a região oferece passeios de barco, centro arqueológicos, cavalgadas e observação de pássaros entre outras atividades.

Mais informações: www.visitgauteng.net.