Quem adquire um tour de flutuação tem incluído no pacote aluguel de snorkel, roupa de neoprene e colete, equipamentos essenciais à atividade. A flutuação é realizada em diversos rios de Bonito, mas uma das mais procuradas é a do rio Sucuri, cujo percurso é de 1800 metros, com três horas de duração.

Até o deck do rio, o turista faz uma pequena caminhada em meio à mata. No local, passa por um período de adaptação para aprender a respirar com o snorkel, o que pode ser incômodo no começo para quem não está acostumado. Porém, iniciada a flutuação, o uso da máscara geralmente se torna natural. As belezas submersas são tantas que as pessoas normalmente esquecem que não estão respirando de modo convencional.

São milhares de peixes, formações rochosas e plantas que só quem faz o mergulho pode observar. Em alguns momentos, onde a profundidade do rio é maior, se tem a sensação de estar levitando. Durante o trajeto, um barco com guia acompanha os aventureiros. A embarcação também serve de socorro para quem não tem fôlego para completar o trajeto flutuando ou sente muito frio (a água do rio é bastante gelada).

Outro lugar muito procurado é o rio da Prata. Nele, a sequência da atividade é semelhante à do Sucuri, Porém, a caminhada no meio da mata é maior, com duração média de 50 minutos, e não existe barco de apoio nos 1500 metros de flutuação. Logo no início da atividade, é possível observar a água brotando da terra na nascente do rio Olho d`água, que vai ao encontro do Prata. Mais um dos muitos espetáculos naturais proporcionados por Bonito.

Em ambos os passeios de flutuação, como forma de preservação da qualidade da água das nascentes, não é permitido o uso de filtros solares e repelentes. Como nos locais existem muitos mosquitos, é um sacrifício que os turistas são obrigados a fazer em prol da natureza. A roupa de neoprene protege alguns locais do corpo contra as picadas. Para proteger as que ficam expostas, a dica é fazer as caminhadas em meio à mata em ritmo rápido e não permanecer muito tempo parado.

Cíntia Vegas