Localizado à 434 quilômetros da capital do Mato Grosso do Sul, Corumbá, com o nome de origem tupi-guarani curupah – que significa “lugar distante”, agrega um ecossistema dos mais ricos, onde Corumbá, conhecida como capital do Pantanal, desponta como rota cobiçada para ecoturistas.

Corumbá, que anteriromente tivera outras denominações, é conhecida como Cidade Branca por causa da cor clara de seu solo, rico em calcário.
No início do século XX, porém, a chegada da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil deslocou o eixo comercial do sul do estado – na época ainda Mato Grosso – para Campo Grande.
A cidade iniciou atividades industriais na década de 1940, com a exploração das reservas de calcário – excelente para a indústria do cimento – e outros minérios. No final dos anos 1970, o turismo começou a ser explorado, revelando nova infra-estrutura e viabilizando a restauração das construções históricas.

Com o Pantanal ocupando 60% de seu território, Corumbá passou a ser chamada de Capital do Pantanal, constituindo-se o principal portal para o santuário ecológico.
A contemplação da fauna e flora pantaneira, passeios pelas trilhas, calvalgadas, passeios de barcos, safáris fotográficos e a pesca esportiva são atrativos inigualáveis.