Danielle de Sisti
v21.jpg

"Curitiba tem tantas marcas, mas não tem nenhuma que realmente identifique a cidade para os turistas" (Luiz de Carvalho, secretário de Turismo de Curitiba).

Consolidada como importante destino para o turismo de negócios no Brasil, Curitiba pretende incrementar agora o número de visitantes que vêm a capital simplesmente para passear e conhecer seus atrativos. Por isso, a primeira ação da recém-criada Secretaria Municipal de Turismo será promover um concurso entre universitários e o trade turístico para a elaboração de uma marca que "venda" Curitiba como uma opção para lazer e entretenimento. "Curitiba tem tantas marcas, mas não tem nenhuma que realmente identifique a cidade para os turistas", diz o secretário Luiz de Carvalho.

Um marketing bem feito baseado em uma marca forte seria o primeiro passo para equilibrar os números entre turistas de negócios e turistas de lazer. Dos 1,5 milhão de visitantes que a cidade recebe anualmente, cerca de 70% vêm à cidade a trabalho. "Queremos oferecer opções até para esse turista de negócios ter o que fazer na cidade nos horários de folga", diz o secretário. "Acreditamos que podemos aumentar de 50% a 60% o número de turistas nos próximos quatro anos", prevê.

Além disso, Luiz de Carvalho pretende criar facilidades para que os próprios curitibanos façam "turismo" por outros bairros, conhecendo melhor a cidade onde moram. "Curitiba tem 1,8 milhão de habitantes e muitos deles não conhecem os pontos turísticos, por isso, queremos facilitar o trânsito da população para que ela possa passear mais nos fins de semana", diz.

Parceria

Uma idéia para rechear o calendário turístico-cultural seria firmar uma parceria com a Secretaria Municipal de Cultura com o objetivo de formatar novos eventos, a exemplo dos já bem-sucedidos Festival de Teatro e Oficina de Música. Além de impulsionar o número de turistas, amenizaria a sazonalidade.

Segundo Luiz de Carvalho, um dos eventos a serem criados é uma espécie de Festa das Nações, aproveitando a mistura de etnias presentes em Curitiba. Seria apresentada aos turistas e curitibanos a cultura dos vários povos que formam a população local, por meio de manifestações diversas, como música, dança, culinária e artesanato.

Além disso, Luiz de Carvalho informa que a Secretaria de Turismo e a Vigilância Sanitária estão estudando a criação de um selo de certificação de qualidade para restaurantes, bares e similares de Curitiba. O selo seria uma forma de divulgar a infra-estrutura da cidade como um pólo gastronômico nacional, aproveitando a grande e diversificada oferta.

Para o secretário, Curitiba cresceu muito e está preparada para promover e receber eventos de grande porte. A capital e sua Região Metropolitana dispõem de 150 hotéis, muitos de bandeiras e padrão internacionais, que somam aproximadamente dezoito mil leitos. Por isso, a cidade se colocou frente a frente com Florianópolis (SC) e Salvador (BA) para disputar a sede do COP8MOP3, um grande evento de meio ambiente com representantes de 196 países e que, em maio, será realizado pela primeira vez no Brasil. "Curitiba tem todas as condições para sediar bem esse evento, tem estrutura, logística, um fluxo satisfatório de vôos", cita Luiz. "Em breve teremos um encontro com a coordenação em Brasília, acredito que há muitas chances de atrair esse evento", considera.

Se a capital paranaense tem boa oferta hoteleira, gastronômica e de lazer, tropeça quando o assunto é prestação de informações ao turista. Por isso, a Secretaria pretende implantar uma nova sinalização turística, que siga os padrões internacionais, e construir mais postos de informações. Hoje a cidade conta com oito desses equipamentos.

Agência

A Secretaria Extraordinária de Turismo foi criada no último dia 1.º de janeiro por meio de um decreto assinado pelo prefeito Beto Richa, atendendo ao anseio do trade turístico. Porém, tem data para acabar: 31 de dezembro deste ano, devendo ser substituída pela Agência Curitiba de Turismo, que entra em vigor um pouco antes, em outubro. "Uma das minhas missões principais é criar a agência, que é um organismo que terá mais facilidade para promoção de eventos e parcerias com a iniciativa privada", diz o secretário.

A agência será formada por conselhos municipais de turismo compostos, entre outros membros, por representantes do trade. "A agência vai trabalhar em todas as vertentes, tanto na promoção turística quanto na questão da melhoria de infra-estrutura", informa Luiz de Carvalho.

A Secretaria Extraordinária de Turismo não tem orçamento próprio, já que na gestão anterior, do prefeito Cássio Taniguchi, o turismo era conduzido pela CIC – Companhia de Desenvolvimento de Curitiba (atual CDC) – por meio da Diretoria de Turismo.