O segmento do turismo em Curitiba tem muito a comemorar. Em quatro anos, o número de visitantes na cidade cresceu 36%, passando de 2.235.378 turistas, em 2005, para 3.029.950, em 2008. A marca deverá ser ultrapassada em 2009, segundo cálculos preliminares do Instituto Municipal de Turismo.

“Nos últimos anos, Curitiba ganhou excelentes espaços turísticos, que precisam ser explorados pelos visitantes que aqui chegam”, diz o prefeito Beto Richa. “Hoje a cidade aparece como um dos destinos mais procurados no país, com forte crescimento do turismo de negócios, culturais e esportivos”, acrescenta Richa.

Para chegar aos atuais patamares, a primeira iniciativa da Prefeitura de Curitiba foi criar, em maio de 2005, o Instituto Municipal de Turismo, com a função de desenvolver, planejar e orientar as políticas de ações voltadas ao desenvolvimento turístico na capital.

Em 2006, foi criado o Conselho Municipal de Turismo. A partir daí, a prefeitura fez uma série de ações para promover a cidade como destino turístico, e também investiu em programas e campanhas para receber cada vez melhor os visitantes.

“Novo em Curitiba, Vale a Pena Ver!” é a campanha mais recente. Lançada em 2009, mostra que a cidade tem muito mais a oferecer além dos cartões-postais tradicionais, e divulga oito atrações criadas ou revitalizadas desde 2005.

As atrações são: os parques Cambuí e Lago Azul; o Jardim das Sensações, do Jardim Botânico; o Mercado de Orgânicos, anexo ao Mercado Municipal; o Paço da Liberdade, a Capela Santa Maria; a Praça Tiradentes; e a Linha Turismo. A ideia é que agências e operadoras incluam em seus pacotes as novas atrações.

O Paço da Liberdade, um dos atrativos da campanha Novo em Curitiba, encantou o empresário argentino Santiago Cano, que esteve em Curitiba no fim de 2009. Com pouco tempo para visitar a cidade, ele optou por fazer um city tour noturno organizado por uma agência do Núcleo Receptivo de Turismo, especializado na recepção de visitantes que procuram o Paraná como destino.

“Esta é a terceira vez que venho a Curitiba e em cada uma delas tive uma surpresa. Desta vez, foi encontrar esse prédio belíssimo recuperado”, disse Santiago.

Eberhard Aichinger, presidente do Conselho do Instituto Estrada Real, de Minas Gerais, integrou o mesmo grupo de Santiago. Ele contou que guarda boas lembranças de Curitiba, pois passou sua lua-de-mel na cidade, em 1966.

“As potencialidades turísticas de Curitiba são inquestionáveis. O Paço da Liberdade, o Jardim Botânico, o Museu Oscar Niemeyer, por onde passamos no passeio noturno, são prova da variedade de opções com que a cidade pode conquistar seus visitantes. E são lindos a qualquer hora do dia”, comentou.

Cultura e esporte

A cidade, que tem vocação para o turismo de negócios, também vem se firmando como centro de eventos culturais e esportivos com potencial para atrair visitantes. Entre eles, o Festival de Curitiba, maior mostra de artes cênicas do País, e o Campeonato Mundial de Carros de Turismo (WTCC), que depois da Fórmula 1 é considerado o principal evento automobilístico do mundo. Ambos são apoiados pelo Instituto Municipal de Turismo.

“Quem vem para acompanhar o Festival de Curitiba, por exemplo, tem interesses especiais e a cidade oferece diversas outras opções culturais e gastronômicas para dar suporte a esse turista. A diversidade cultural é uma riqueza que agrega valor ao turismo”, explica a presidente do Instituto Municipal de Turismo, Juliana Vosnika.

Sucesso

O movimento na Linha Turismo, outro atrativo da campanha Novo em Curitiba, Vale a Pena Ver!, aumentou 45,49% em 2009. O balanço da Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), que administra a linha que passa por 24 endereços turísticos, mostra que a frota transportou 520.163 passageiros no ano passado. Em 2008 fo,ram 357.519 pessoas.

Cada viagem, com duração média de duas horas e meia, é feita sempre com dois veículos: um double-decker, aberto, que garante uma visão panorâmica da cidade aos 55 ocupantes que estão na parte superior do ônibus, e uma jardineira, com seu desenho típico e janelas panorâmicas, que transporta até 35 pessoas sentadas por viagem.