Blue Dream deve percorrer
doze destinos, de Maceió (AL)
a Punta del Este (Uruguai).

A retomada do crescimento da economia brasileira ajudou muito o desempenho do turismo no País, inclusive auxiliando na geração de empregos. A afirmação é do presidente da CVC, maior operadora de turismo da América Latina, Guilherme Paulus. Segundo dados do Ministério do Turismo, o recente avanço da balança comercial mostra que esse segmento é o quinto principal exportador do País, representando 4,5% do Produto Interno Bruto (PIB) e perdendo apenas para a soja em grão, minério de ferro, farelo de soja e aviões.

Além disso, o ministério apurou que as férias de julho de 2004 registraram resultados históricos ao alcançar 3,5 milhões de passageiros pelas companhias aéreas em vôos nacionais. Nos sete primeiros meses do ano, foram 20,4 milhões de transportados, contra 17,5 milhões do mesmo período de 2003. O desembarque internacional também bateu recordes com a marca de 3,4 milhões de passageiros entre janeiro e julho de 2004. Durante o primeiro semestre, o turismo foi responsável pela entrada de US$ 1,625 bilhão no Brasil.

O superávit (diferença entre o que os turistas estrangeiros deixaram aqui e o que os brasileiros gastaram no exterior) neste período foi de US$ 370 milhões, índice cinco vezes maior do que nos primeiros meses do ano passado. A estimativa de crescimento do ministério para o turismo é de 8% em 2004. Para o ano que vem, o governo federal vai investir R$ 56 milhões para o incentivo do turismo interno e R$ 173 milhões para a promoção do Brasil no exterior. “O Plano Nacional de Turismo tem como desafio um crescimento de 15% ao ano para chegarmos em 2007 com a entrada de nove milhões de turistas estrangeiros anualmente. Isso colocará o turismo como o principal captador de divisas estrangeiras”, avalia Paulus.

Reflexo

O bom desempenho do mercado até este momento teve reflexo na operadora CVC, que alcançou um crescimento de 25% dos passageiros transportados entre janeiro e agosto de 2004 (482.177 pessoas) em relação ao mesmo período do ano passado (386.934 passageiros). “Nós já sabíamos que este ano seria bom para o turismo. Depois de oito meses, encontramos um número sensacional. Até 31 de dezembro, queremos transportar novecentos mil passageiros e, quem sabe, até um milhão de pessoas até janeiro de 2005. Com certeza teremos um verão bem quente em vendas”, afirma Paulus. Se isto realmente acontecer, vai representar um aumento de 30% sobre 2003.

Para ele, alguns lançamentos de pacotes foram decisivos para o crescimento na procura. Paulus cita como exemplo de sucesso o fretamento de vôos para a Europa, com entrada pela Espanha, que levou dez mil brasileiros para o Velho Continente entre abril e setembro. Paulus também destaca os fretamentos para Cancun, Bariloche, Buenos Aires, Rússia e Escandinávia, além dos novos pacotes nacionais para Riviera de São Lourenço, Aracaju com Cânion de Xingó e Itacaré, no sul da Bahia.

O movimento acumulado da CVC de janeiro até agosto foi de R$ 723 milhões.

É bom lembrar que movimento quer dizer recursos financeiros gerados pelos pacotes de uma operadora e não faturamento. Segundo cálculos da Organização Mundial do Turismo (OMT), 40% do total movimentado por uma operadora é destinado a salários e encargos. O bom desempenho representa a manutenção ou a geração de cem empregos mensais, conforme estudos da entidade. De acordo com Paulus, este é o reflexo da movimentação de 52 setores da economia ligados ao turismo. “O segmento do turismo se consolida definitivamente como um dos maiores geradores de empregos. O Brasil finalmente encontrou sua vocação turística e estamos confiantes que seguiremos em passos largos para transformar o País em um dos destinos mais procurados do mundo”, comenta o presidente da operadora.

Tendências e metas

A fim de diminuir custos, priorizar o atendimento e ter sempre vagas disponíveis, a CVC arrendou seis pousadas na Costa do Sauipe por três anos. “As grandes operadoras estão caminhando para os hotéis exclusivos. Nós fazemos isso em Gramado, Aracaju, Natal e Fortaleza. Isso traz facilidades para o consumidor, que receberá maior qualidade no serviço e um produto exclusivo. Operacionalmente, também conseguimos reduzir muitos custos”, esclarece Paulus.

Os negócios até agora já foram excelentes para a CVC e a empresa espera ainda mais na alta temporada de verão. Serão 180 vôos fretados semanalmente, um recorde no Brasil segundo Paulus. Seis deles sairão do Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba. A operadora acredita que os principais destinos serão para as praias do Nordeste, do Sul, Argentina, Flórida (Estados Unidos) e os cruzeiros marítimos. Os preços não sofreram alterações, com a intenção de manter e atrair clientes. “Existe o aumento da demanda, mas não podemos admitir que o preço suba, pois os salários não subiram. Não estamos aceitando o repasse de preço de nossos parceiros”, expõe.

Outra meta da CVC para o final de ano é convencer as pessoas que viajam por conta própria a procurarem as agências de turismo. “Estamos lançando roteiros para quem viaja com o próprio carro. Hoje é mais barato ir para hotéis do que alugar casas de praia. Mas as pessoas têm a idéia de que a agência de turismo é cara”, complementa Valter Petriani, diretor de vendas da operadora.

Cruzeiros são a nova aposta da operadora

Os grandes investimentos da operadora de turismo CVC para o verão 2004/2005 são os cruzeiros marítimos. Depois da grande procura no ano passado pelas viagens a bordo do navio Blue Dream, a empresa traz novamente esta embarcação para atuar em dezesseis opções de roteiros pela costa brasileira. Além dele, a CVC vai trabalhar com o navio Pacific, que viajará por cidades do Nordeste e pelo Arquipélago de Fernando de Noronha.

Segundo Valter Patriani, diretor de vendas da operadora, a positiva experiência em 2003 estimulou a CVC a investir nos cruzeiros. “No ano passado, a nossa primeira experiência, foram quinze mil turistas. Esperávamos perder dinheiro, mas conseguimos ganhar pouquinho. Isso nos deu tanto entusiasmo que trouxemos um segundo barco. Aguardamos 25 mil pessoas este ano”, afirma.

O Blue Dream é o navio mais luxuoso que percorrerá regularmente as águas do País, de acordo com Patriani. Estão previstos doze destinos: Maceió, Salvador, Morro de São Paulo, Búzios, Rio de Janeiro, Angra dos Reis, Parati, Santos, Porto Belo, Florianópolis, Buenos Aires (Argentina) e Punta del Este (Uruguai). A capacidade da embarcação é de 1,4 mil passageiros, mas a CVC vai utilizá-la para oitocentas pessoas. “Assim haverá mais espaço, tornando o navio ainda mais luxuoso e com cabines maiores. Nos navios concorrentes, as suítes têm vinte metros quadrados, enquanto no Blue Dream mede 50 metros quadrados”, comenta. “Isto também permite parar em portos mais próximos dos destinos, pois não será uma grande quantidade de pessoas a descer do navio”.

O roteiro básico neste cruzeiro dura uma semana e percorre Búzios, Angra dos Reis e Florianópolis. As saídas acontecem em Santos e começam em 1.º de dezembro, com término em 20 de fevereiro de 2005. Os pacotes estão sendo comercializados a partir de US$ 299 por pessoa, em cabine dupla e incluindo cinco refeições diárias. Os valores são parcelados em seis vezes e, garantidos antecipadamente, têm 10% de desconto. Outra promoção é o pacote grátis do terceiro passageiro na mesma cabine.

Fabricado em 2000, o Blue Dream oferece aos passageiros cinco tipos de cabines (70% delas com varandas e 92% com vista para o mar), quatro restaurantes temáticos, buffet panorâmico, pista de cooper, solário, spa, piscina, jacuzzis, cabeleireiro, sala de massagem, biblioteca e acesso à internet, rádio e telefone. Além disso, existem as opções de entretenimento, como jogos, concursos, shows, bailes, festas, cassino, sports bar e boutique. A relação tripulação x passageiro é a mais alta já vista: são dois turistas por tripulante.

Pacific

Pela primeira vez em território brasileiro, o Pacific ficará no País de 4 de dezembro a 27 de fevereiro do ano que vem. Os roteiros percorrerão as cidades de Fortaleza, João Pessoa, Natal, Recife, Maceió e o Arquipélago de Fernando de Noronha. O navio tem capacidade para receber até 650 pessoas e oferece diversas opções de lazer, como cassino, piscinas, teatro, karaokê, sauna, bar, danceteria, boutique, restaurante, cinema, sala de ginástica, sala de massagem, salão de beleza, biblioteca e acesso à internet. O pacote básico, incluindo dois dias em Fernando de Noronha, em cabine dupla e com cinco refeições diárias custa US$ 340 por pessoa, preço que também pode ser parcelado.

Até este momento, a operadora já conseguiu um aproveitamento de 50% com os dois cruzeiros. No mesmo período do ano passado, o índice foi de 30%. O entusiasmo é tão grande que a CVC já está planejando operar com um navio permanentemente pela costa brasileira, provavelmente daqui a quatro anos. Mais informações no site www.cvc.com.br ou no telefone (41) 3013-1700. (JC)