Danille de Sisti
Na Costa Esmeralda, praias como Bombinhas, com águas claras e protegidas dos ventos, seduzem mergulhadores e velejadores.

Belas praias rodeadas por infra-estrutura fazem do litoral norte de Santa Catarina um destino turístico interessante em qualquer época do ano. A maioria já é bem familiar para os paranaenses e alguns turistas estrangeiros (principalmente argentinos), que desfrutam seus centros de compras, equipamentos de lazer, passeios e hotelaria e gastronomia diversa.

Ao todo, são mais de cem praias em 250 quilômetros que vão de Florianópolis-, a ilha-capital-, até Itapoá, na divisa com o Paraná. No eixo central, está Balneário Camboriú que, todos os anos, pulsa no embalo dos quase um milhão de turistas que recebe somente na temporada de verão, enquanto muitas das praias à sua volta oferecem cenários bucólicos para quem deseja sossego, sem abrir mão do conforto e qualidade dos serviços.

Nesta categoria, estão lugares como Porto Belo, Bombas, Bombinhas e Governador Celso Ramos (Ganchos). A proximidade com alguns dos maiores centros industriais do País, a exemplo de Blumenau, Brusque e Joinville, torna a região interessante, mesmo quando o sol não aparece. É que na região há parques como o Unipraias, em Balneário Camboriú, e o Beto Carrero World, em Penha, opções além-praia.

Fernando Vargas
O Parque Unipraias oferece arvorismo e passeio de bonde aéreo.

Costa Esmeralda

São tantos e variados os atrativos do litoral norte, que sua orla precisou ser dividida para melhor identificá-la. Assim, os tons esverdeados do mar que banha o trecho de Itapema a Governador Celso Ramos, recebeu o nome de Costa Esmeralda. Seus principais balneários ficam numa península recortada, com baías protegidas dos ventos e águas claras que seduzem mergulhadores e velejadores de todas as procedências.

Somente Bombinhas, cidade de dez mil habitantes e população flutuante de 55 mil turistas no verão, tem 22 praias. Todas são excepcionalmente belas, com destaque para Mariscal e Quatro Ilhas, as preferidas dos surfistas; Zimbros e Canto Grande, com baías pontilhadas de embarcações; Bombas e Bombinhas, cercadas pelas comodidades de um centro comercial e gastronômico.

Tanto o mergulho autônomo (com cilindro) como o mergulho livre, são experiências fascinantes na Costa Esmeralda. Nas águas cristalinas da Reserva Marinha do Arvoredo é possível observar corais, cardumes de peixes multicoloridos, cetáceos, moluscos e outras espécies da fauna e da flora marinha. Os locais de mergulho mais famosos estão próximos das Ilhas do Arvoredo, Galés, Deserta e Calhau de São Pedro.

A Praia de Araçá, em
Porto Belo, é propícia
para os esportes náuticos.

Em Porto Belo, típica cidade de colonização açoriana, a geografia favorece a prática de esportes náuticos em belas praias. Não menos badalada que Balneário Camboriú, Itapema é a praia de melhor infra-estrutura desse roteiro. Durante o verão, tem vida noturna agitada e é freqüentada pela juventude da região. Em Governador Celso Ramos, 23 praias e pequenas enseadas lembram paisagens mediterrâneas. Veleiros de várias nacionalidades buscam suas baías para se proteger dos ventos, sob o olhar indiferente dos pescadores nativos, entretidos na faina diária com o mar, enquanto as mulheres tecem rendas de bilro e bordam toalhas de crivo.

Uma das maiores atrações da Costa Esmeralda é a Ilha de Anhatomirim. Nela está localizada a Fortaleza de Santa Cruz, cuja edificação foi concluída em 1744. No seu entorno, vivem centenas de golfinhos que podem ser observados durante os passeios de escunas e barcos que partem de Florianópolis e da Praia do Antenor, em Governador Celso Ramos.

Rota une praia, história e badalação

Barra Velha tem vinte
quilômetros de orla, onde estão
belas praias como a do Grant.

A Rota do Sol concentra o maior número de atrativos turísticos de todo o litoral de Santa Catarina. Não é à toa que mais da metade dos quase três milhões de turistas que visitam o estado no verão procuram esta região. É destino preferido também dos estrangeiros que chegam atraídos pela fama dos seus balneários.

A vedete da Rota do Sol é Balneário Camboriú, cuja Praia Central concentra toda a efervescência da região. Urbanizada, a praia tem um calçadão de sete quilômetros, repleto de bares, restaurantes, casas de diversão e centros de compras. O agito noturno acontece na parte sul, onde estão as danceterias e boates para todos os estilos.

Reunindo tecnologia e consciência ecológica, o Parque Unipraias oferece o passeio de bondes aéreos que liga duas praias. Cada um dos seus 47 bondinhos tem capacidade para seis pessoas. Desliza numa altura de vinte a noventa metros do solo e percorre 3.250 metros de extensão.

No alto do Morro da Cruz,
o Cristo Luz ilumina a cidade.

Balneário Camboriú tem outros atrativos como o Cristo Luz, monumento de 33 metros de altura e 428 toneladas. O Cristo segura na mão esquerda um canhão de luz que gira 180 graus, espalhando feixes luminosos de 86 combinações de cores. No Parque Cyro Gevaerd (Parque da Santur), às margens da BR-101, um zoológico, minifazenda de animais domésticos, aquários, museu arqueológico e amostras do artesanato catarinense, merecem uma visita.

Distante cinqüenta quilômetros de Balneário Camboriú, no município de Penha, está o Beto Carrero World, quinto maior parque multitemático do mundo. O parque encanta crianças e adultos que podem optar entre dezenas de brinquedos, dos mais radicais, como a Big-Tower com cem metros em queda livre e a montanha-russa de dois loopings, até os tradicionais carrossel e trem fantasma. São tantas as atrações, que são necessários dois dias para conhecer o parque por inteiro.

História destaca a pequena
São Francisco do Sul, bem
conhecida pelas praias
perfeitas para surfe.

Próximo a Balneário Camboriú é possível visitar outras cidades como Itajaí, que tem um dos mais importantes portos do Brasil e o único píer exclusivamente turístico do País. Navegantes abriga o aeroporto que serve toda a região, com vôos regulares para as principais capitais brasileiras.

História

Nessa rota, São Francisco do Sul se destaca pela importância histórica. Já que, em 1504, o navegador francês Binot Palmier de Gonneville aportou na ilha, marcando o início da primeira povoação de Santa Catarina e uma das três mais antigas do Brasil. Hoje, a ilha tem trinta mil habitantes e, entre seus atrativos, o Museu Nacional do Mar, único do gênero no Brasil e um centro histórico formado por 150 prédios coloniais tombados pelo Patrimônio Histórico Cultural. E não é só de história que vive o turismo de ?São Chico?. Muitos turistas, desde famílias a surfistas, são atraídos pela beleza de suas treze praias.

Piçarras também guarda
paisagens de cartão-postal,
como a da Ilha Feia.

Outros quatro balneários, com meia centena de praias, se destacam na Rota do Sol. Em Barra Velha, vinte quilômetros de orla abrigam praias de encher os olhos, como a Praia Central, Costão dos Náufragos, Praia do Grant, Praia do Sol e Itajuba. Paralela ao mar, a lagoa de Barra Velha oferece condições ideais para esportes náuticos e pesca de arremesso. Em Piçarras, a pesca artesanal convive em harmonia com velas e jet-skis. Os sete quilômetros de praias do município começam na Ponta do Jacques, ao norte, onde a natureza permanece praticamente intacta.

Na ponta sul, acontece o agito noturno com espaços para dançar, comer e beber. Repleto de paisagens agrestes, Itapoá, no extremo norte, guarda tesouros como a Reserva Particular do Patrimônio Natural de Volta Velha e a pesca artesanal na foz do Rio Saí-Mirim. As areias monazíticas da Praia de Salinas, o point da Dô e a lagoa são os maiores atrativos de Barra do Sul, onde pequenos barcos levam os visitantes para pescarias ou passeios nas cinco ilhas da região.