Panteon dos Heroes, importante
monumento cívico do Paraná.

O céu azul e o friozinho do outono convidam ao turismo cultural. Visitar cidades que agregam ao lazer uma grande bagagem de história e cultura é um bom programa para fazer do fim de semana um período diferente de descanso. No Paraná, a aproximadamente setenta quilômetros de Curitiba, uma pequena cidade, de 41,7 mil habitantes, rica em história e belezas naturais, é um exemplo de destino turístico que não depende do verão para mostrar seus atrativos. Esta é a Lapa, cidade que já foi conhecida nacionalmente pelo Cerco da Lapa, episódio da Revolução Federalista, de 1894, e que hoje é visitada por turistas de todo o Brasil por se tratar de um destino que reúne história, cultura, cenários naturais belíssimos para a prática do ecoturismo, turismo rural e um famoso spa, além de diversas pousadas rurais.

Um dos cenários naturais mais bonitos da cidade e, por isso, um dos mais visitados por turistas, é o Parque Estadual do Monge, que recebe anualmente quase cem mil visitantes, oriundos de diversas regiões do Brasil.

Localizado na Serra do Monge, a 3,5 quilômetros do centro da cidade, o parque tem uma área de 371,6 hectares de Mata Atlântica e é considerado uma reserva de Patrimônio Natural. É um importante corredor de fauna, onde são encontradas espécies da fauna original, como gato-do-mato, veado, paca, serelepe, gralha azul, cachorro-do-mato e alguns mamíferos de grande porte como onças e jaguatiricas.

O parque tem este nome porque foi habitado, em 1847, por um monge chamado João Maria D?Agostinis, que se dedicou ao estudo das plantas da região, fazendo orações públicas, medicando enfermos e realizando profecias. Isso explica também a grande visitação à Gruta do Monge, o principal atrativo do parque, que se transformou em ponto de romaria de peregrinos que buscam a cura pela fé.

Lá, o turista também encontra churrasqueiras, canchas de futebol e vôlei, restaurantes, lanchonetes, sanitários, estacionamento para ônibus e trilhas com trechos íngremes.

O acesso ao parque se dá pela Avenida Getúlio Vargas, toda pavimentada, num percurso de 3,5 quilômetros que tem início no centro da cidade. O parque tem o Mirante do Cristo, de onde se tem uma vista privilegiada de toda a região, e a Hípica Jorge Sera, que atrai admiradores do turfe.

Turismo histórico

A cidade é um importante destino turístico também porque guarda importantes registros da história do Paraná. Fundada por tropeiros por volta de 1730, no histórico Caminho Viamão – Sorocaba, elevou-se à categoria de cidade com nome de Lapa somente em 1872.

Depois de ter participado da Revolução Farroupilha e da Guerra do Paraguai, a Lapa foi palco de um grande conflito bélico, em 1894 entre maragatos e forças republicanas – a Revolução Federalista, que passou para a História do Brasil como o “Cerco da Lapa”. Boa parte dessa história pode ser vista pelos turistas no bem conservado centro histórico, tombado pelo Patrimônio Histórico.

Esse centro compreende uma área de 24,4 hectares, com quatorze quarteirões que abrigam 258 edificações, das quais 38 datam do século XIX, 76 da primeira metade do século XX e 136 da segunda metade do século passado. O prédio mais antigo é o da Igreja Matriz de Santo Antônio, construída na segunda metade do século XVIII.

Bem perto está o Theatro São João, localizado na Praça General Carneiro. Com capacidade para até 212 espectadores, o prédio, erguido em 1876, foi tombado pelo Patrimônio Histórico Paranaense em 1969 e pelo Nacional em 1985.

O prédio da Prefeitura Municipal, de 1890, foi o primeiro construído para abrigar uma escola pública. O local foi utilizado como hospital durante o Cerco da Lapa.

Em uma visita à cidade, é obrigatória também uma visita ao Panteon dos Heroes, considerado o mais importante monumento cívico do Paraná. Guarda os restos mortais de general Carneiro, coronel Amintas de Barros Braga, coronel Dulcídio Pereira, tenente-coronel Joaquim Resende Corrêa de Lacerda e outros homens considerados como heróis na história do Estado.

A Casa Lacerda, que foi sede do Quartel-general da 2.ª Brigada durante o Cerco da Lapa, é hoje um dos ícones da cidade. É o único museu federal da Lapa e, por ter sua decoração preservada, oferece aos turistas a sensação nostálgica de viver no século XIX.

Além desses, há ainda a Casa da Câmara e Cadeia, a primeira casa de detenção da cidade, inaugurada em 1868, e o Museu de Armas, que guarda importante acervo desde 1993.

Para conhecer um pouco do artesanato local, a dica é visitar a Casa Vermelha. Construída também em 1868 e pintada de vermelho em uma alusão ao tropeirismo (na época, usavam-se pinturas com cores fortes), a casa abriga hoje o artesanato dos Clubes de Mães e da Família, contando com 192 expositores.

O artesanato lapiano é bastante diversificado, incluindo trabalhos em cestaria, tapeçaria, pintura, escultura, crochê, tricô, bordado, acolchoados em lã de carneiro, além de esculturas e entalhamento em madeira.

Lá o turista encontra também algumas delícias caseiras, como geléias, doces, compotas e licores. A Casa da Memória e a Casa de Ney Braga (memorial) são também museus que abrigam peças importantes da história como documentos, livros e móveis.

Festas e gastronomia

Festas e atividades religiosas também atraem turistas à cidade.

Entre elas estão a Festa do Padroeiro Santo Antônio (13 de junho), Festa de São Benedito (dezembro), Corpus Christi (as ruas são recobertas por tapetes coloridos confeccionados com serragem, folhas, flores e grãos), Congada (festa de cunhos religioso e popular), Festa do Tropeiro (abril) e Festa do Porto (agosto).

Esses eventos são também uma boa oportunidade para o turista conhecer um pouco da gastronomia típica da cidade, que inclui arroz a carreteiro, virado de feijão, leitão à pururuca, bisteca de porco, churrasco, quirera e farofa.

Um dos restaurantes que se especializaram nessas delícias é o Lípski. Além disso, há ainda o café colonial que, na Lapa, é servido ao modo tropeiro. Inclui pães, doces, café bem forte, bolo de fubá, quitutes diversos, tortas (doces e salgadas), bolinho de polvilho, pão recheado com lingüiça, broinhas de araruta, patês, rosquinhas, bolachas amanteigadas, biscoitos e queijos, geléias e doces de tacho.

Onde se hospedar

Pousada Santa Bárbara

(41) 622-2259

Hotel e Restaurante Michell?s

(41) 622-1775

Hotel Turislapa Residence

(41) 622-1483

Hotel Degraus

(41) 622-2921

Hotel Pousada da Lapa

(41) 622-1422

Hotel São Luís

(41) 622-1312

Pousada Salles

(41) 622-1275

Hotel de Saúde/Spa Lapinha

(41) 622-1044

Hotel Fazenda Vovó Naná

(41) 356-5451

Hotel Fazenda Tia Leka

(41) 622-4182

Cabanha Monastier

(41) 622-2735

Estalagem da Fazenda Roseira

(41) 622-4360

Hotel Fazenda Casa da Telha

(41) 622-2641

Sítio Assis

(41) 622-2494