Márcio Vasconcelos
O Parque Nacional dos Lençóis
é um grande atrativo, para
quem procura aventura ou,
simplesmente, tranqüilidade.

Uma das novas descobertas de turistas brasileiros e estrangeiros no Brasil é o Maranhão. Depois de consagrar roteiros como a capital, São Luís, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é o grande atrativo para quem procura aventura e muita tranqüilidade. A cidade de Barreirinhas, a três horas de carro da capital, é a porta de entrada para quase todos os municípios que compõem os Lençóis Maranhenses, transformados em parque nacional em 1981. Isso porque Barreirinhas possui infra-estrutura capaz de receber e hospedar os aventureiros que estão interessados em conhecer a região.

Formados por processos geológicos ao longo de milhares de anos, os Lençóis Maranhenses, conhecido como o Deserto Brasileiro, reúne dunas, rios, mar, manguezais, além de lagoas de águas cristalinas que se formam no período chuvoso – de dezembro a maio. O lugar, com mais de cem quilômetros de extensão e cinqüenta quilômetros adentro no continente, é simplesmente deslumbrante. É uma área maior que a cidade de São Paulo, com imensas dunas de areia branca que se movem ao sabor dos ventos em meio às lagoas com tonalidades que variam entre o verde-claro e o azul mais intenso. Algumas dessas lagoas, como a Azul e a Bonita, já são famosas pela beleza e propícias para os refrescantes banhos.

Lagoas de água cristalina em Santo Amaro convidam para um banho morno no meio do grande deserto: diversão para adultos e crianças.

Às margens do Rio Preguiças, a cidade de Barreirinhas conta com estrutura de hotéis, restaurantes, pousadas e lojas de artesanatos que comercializam produtos feitos a partir da palha de buriti. Tudo aqui, no entanto, leva a uma infinidade de esportes nas praias, nas areias, nas lagoas, nas dunas e no Rio Preguiças, que vão desde as simples caminhadas a esportes mais sofisticados.

Além de todas essas maravilhas, o visitante poderá conhecer, ainda, as belas praias dos povoados de Caburé, Atins e Mandacaru, saindo de barco ou voadeira pelo Preguiças. Caburé e Atins contam com estrutura de pousadas e chalés e em Mandacaru o destaque é para o farol, de onde se tem uma visão maravilhosa do parque.

Santo Amaro

(Às margens do Rio Preguiças,
a cidade de Barreirinhas oferece estrutura de hotéis, restaurantes, pousadas e comércio.

Um outro paraíso à disposição do turista é o município de Santo Amaro, que está localizado a 212 quilômetros de São Luís. Ele faz parte do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses e é um ótimo local para quem gosta de ecoturismo. Com belas praias, dunas, campos, rios, lagos e lagoas, o local serve de base para alimentação e reprodução de inúmeras espécies de aves coloniais e migratórias. Neste período, de agosto até dezembro, os passeios pelas dunas devem ser feitos à margem direita do Lago Santo Amaro e da Lagoa da Gaivota, que é convite certo para um bom mergulho. Essas lagoas se formam no período chuvoso, de janeiro a julho, entre dunas de areia de até seis metros de altura. O interessante é apreciar a rica e diversificada flora e fauna aquáticas da região.

Caboclo de fita no bumba-meu-boi: manifestação do folclore maranhense.

As areias de Santo Amaro, que serviram de cenário para o delicado filme Casa de Areia, do cineasta Andrucha Waddington, que mostrou, além da maravilhosa interpretação de Fernanda Montenegro e Fernanda Torres, um local intocado pelo avanço do desenvolvimento urbano. Tudo é mar, céu, areia e uma população simples de um município que nasceu no século XVII, pelas mãos de jesuítas que estavam em fuga devido às reformas protagonizadas pelo Marquês de Pombal. O líder, um padre de nome Amaro, deu o nome ao lugar que misturou povos indígenas, mercadores de diversas partes do mundo e negros trazidos da África como escravos.

Os passeios devem ser feitos com o acompanhamento de guia, pois os acessos não são fáceis. Podem ser feitos a pé, a cavalo ou com carros tracionados. O município está despertando para o turismo e em sua estrutura se encontram pousadas, restaurantes, que servem a típica comida maranhense e construções de alguns hotéis. O serviço de telefonia funciona, exceto celulares. A população, cerca de quinze mil habitantes, é bastante simples em sua rotina, dando uma verdadeira lição de convivência com a natureza.