Luiz Bassani tem 31 anos
de experiência na aviação.

Muitas pessoas têm medo de viajar de avião porque não têm noção de como esse meio de transporte é seguro. Isso é que incentivou o ex-piloto Luiz Bassani a escrever o livro O mundo do avião – e tudo que você precisa saber para perder o medo de voar, da Editora Globo. Ao contrário do que muitos podem pensar, esse sentimento não atinge, na sua maioria, mulheres ou pessoas idosas. De acordo com Bassani, a faixa etária das pessoas que têm receio de viajar de avião é ampla, vai de 20 a 60 anos e o número de homens supera, embora em pouco, o número de mulheres. O temor de algumas pessoas reflete também no mercado. ?Devido ao medo de voar, deixa-se de vender 18% do total de passagens aéreas?, informa o ex-piloto.

Para amenizar o sofrimento de quem, apesar do medo, viaja de avião, e até para incentivar mais pessoas a escolher o avião como meio de transporte em suas viagens, Luiz Bassani explica no livro um pouco do funcionamento do equipamento e relata as exigências a que são submetidos os pilotos, a tripulação e todo o pessoal envolvido com os procedimentos de vôo. ?Conhecer um pouco do funcionamento do avião faz com que a pessoa passe a usar o lado racional e a perceber que voar é seguro?, considera. ?Os aviões são tão bem fabricados que conseguem voar de 12 a 16 horas por dia por, pelo menos, 25 anos?, ressalta.

Turbulência

v22.jpgBassani tem 31 anos de experiência como piloto, mas foi nos últimos cinco que começou a registrar as principais perguntas que os passageiros lhe faziam ao visitar a cabine de comando. Notou que ?como o avião voa??, ?por que ocorrem as turbulências?? e ?o avião cai se o motor parar?? eram as mais freqüentes e, por isso, ganharam destaque no livro.

Quanto à turbulência, o ex-piloto explica que ?o solavanco acontece porque o avião voa apoiado em um colchão de ar, portanto, se entra um ar turbilhonado nesse colchão, o avião começa a ?procurar? esse colchão de ar para se apoiar novamente. Os aviões são projetados para voar dentro de turbulência severa?, afirma.

Em caso de perda de motor, Luiz asssegura que o avião pode continuar voando. ?Ele voa por mais uns 150 quilômetros ainda, o que dá tempo de pousar em um lugar seguro?, esclarece. Ele acredita que, numa análise preliminar, o acidente em Toronto, Canadá, na semana passada, ocorreu porque o avião deve ter sido atingido por uma ?tesoura de vento?, um vento que muda de direção e intensidade muito rapidamente, e o piloto não conseguiu arremeter, que seria o procedimento normal para tentar a estabilização. ?Não foi raio porque o avião é inteiro isolado?, lembra.

O medo de voar leva, às vezes, as pessoas a tomarem atitudes extremas. Muitas são as histórias que Luiz Bassani tem para contar, entre as quais a de uma passageira que entrou na cabine de comando, dizendo que tinha síndrome do pânico e não queria mais voar porque estava muito nervosa. O avião já estava em movimento, se posicionando para decolar e o piloto teve que voltar para desembarcar a passageira. ?As pessoas não têm idéia do alto custo e o transtorno que isso causa?, comenta.

Além dessa, o livro traz outras histórias curiosas que não têm, necessariamente, ligação com medo de voar, mas que renderam boas risadas para os passageiros e tripulação. Uma das mais inusitadas foi a de um homem que, em um momento de turbulência do avião, perdeu a dentadura no vaso sanitário. A tripulação precisou desencaixar o vaso para resgatar o objeto, mas antes, ?resgatou? um saco plástico, uma calcinha e até um aparelho de surdez.

Personal flyer

Aposentado, Luiz Bassani se dedica agora a ministrar palestras pelo Brasil – O mundo do avião – e, mais recentemente, a oferecer um serviço inédito: o de personal flyer. Ele acompanha, durante as viagens, passageiros que têm medo de voar. ?Sinto que o fato de eles terem alguém ao lado para explicar sobre os procedimentos de vôo e o avião ajuda muito?, comenta.