Ao lado do bairro da Ribeira fica outro local bem pitoresco de Natal. Trata-se do Canto do Mangue, uma central de venda de peixes e frutos do mar. Detalhe: tudo administrado pelos próprios pescadores. Por ficar à beira do Rio Potengi, termina sendo uma atração exótica, até certo ponto bucólica e sobretudo inusitada.

O visitante também pode aproveitar o passeio ao Canto do Mangue para degustar tradicionais iguarias genuinamente potiguares in loco. Destaque para a ginga, um peixinho servido frito e acompanhado por tapioca. Outra alternativa para se deliciar com a tapioca com ginga é o Mercado da Redinha, do outro lado do Rio Potengi.

De segunda a sexta-feira o Canto do Mangue movimenta cerca de 300 pescadores e mais algumas dezenas de pessoas que trabalham no tratamento e na venda do pescado. Os pescadores trazem peixes, lagostas, camarões e variados frutos do mar em cerca de 50 barcos, que atracam na região portuária distribuída entre a Ribeira e as Rocas.
No Canto do Mangue, os visitantes podem contar agora com o Mercado do Peixe, que abriga os comerciantes, que ocupavam os antigos quiosques. Com uma estrutura formada por 32 boxes, sendo 24 deles para a comercialização do pescado e 8 que integram a Praça da Alimentação no mezanino e que permite uma visão privilegiada do Rio Potengi, o que deve tornar o local um chamariz para os turistas.