Catedral da Cidade do Panamá.

A Cidade do Panamá foi nomeada como a Capital Americana da Cultura 2003. A cerimônia de nomeação aconteceu no último dia 13 em ato solene presidido pelo vice-presidente da República do Panamá, Arturo Vallarino.

A capitalidade cultural da Cidade do Panamá se enquadrará no centenário de independência da República do Panamá, que se celebra justamente no próximo ano e que incluirá uma grande variedade de atividades organizadas pelo Comitê Nacional do Centenário.

A Cidade do Panamá, primeiro assentamento europeu da costa do Pacífico americano, foi fundado em 1519. Tem atualmente 750 mil habitantes e na variedade de sua paisagem urbana, apresenta não somente edifícios centenários e vanguardistas mas também um elemento pouco comum nas cidades modernas, a floresta tropical, que contribui para conservação da bacia do Canal do Panamá, principal via aquática do continente americano, inaugurado em 1914.

O centro velho da cidade do Panamá juntamente com o Salão Bolivar, foram inscritos em 1997 na Lista de Patrimônio Cultural da Unesco. A inscrição fundamentou-se na preservação do traçado original do Centro Velho.

Panamá deverá compartilhar a capitalidade cultural no ano 2003 com Curitiba (PR) e intercontinentalmente com Graz (Áustria). A primeira Capital Americana da Cultura da história foi Mérida 2000 (México), seguida por Iquique 2001 (Chile) e Maceió 2002 (Brasil).

A iniciativa da Capital Americana da Cultura é promovida pela Organização Capital Americana da Cultura, criada em 1997. A proposta está dirigida a todos os países membros da Organização dos Estados Americanos (OEA), tem o apoio de diversos organismos internacionais, como o Parlamento Latino-americano e o Parlamento da Europa. Por outro lado, as capitais americanas da cultura integraram-se como observadores na ECCM (Rede Européia de Capitais Culturais).

A Europa (desde 1985) e a América (desde o ano 2000) são os dois únicos continentes no mundo que estabeleceram a iniciativa das capitais culturais.