A época de seca é a ideal
para a observação de
mamíferos no Pantanal.

No Ano Internacional do Ecoturismo, o Refúgio Ecológico Caiman também entrou no clima da Copa do Mundo. Nas reservas feitas até 11 de julho, em pacotes de domingo a quinta, o hóspede pagará apenas três das quatro diárias.

No mesmo período, os turistas que optarem pelos pacotes de sete noites, pagarão apenas cinco delas. Primeiro empreendimento ecoturístico do Pantanal Sul-mato-grossense, o Refúgio Ecológico Caiman está localizado na cidade de Miranda, a 236 quilômetros de Campo Grande (MS). Suas quatro pousadas – Sede, Baiazinha, Cordilheira e Piúva – funcionam independentemente, totalmente integradas às atividades diárias da fazenda Estância Caiman, de 53 mil hectares.

Os pacotes de quatro noites são organizados com chegada ao Refúgio no domingo e saída na quinta-feira. O diferencial dos chamados “Pacotes Itinerantes”, de sete noites, é que o turista fica em duas pousadas diferentes, aproveitando paisagens distintas. Neste período do ano, o Pantanal Sul-mato-grossense está sob a temporada da seca, quando as chuvas cessam e os campos ficam livres para a pastagem dos animais. É, portanto, a época ideal para a observação dos mamíferos. Cervos, tatus, tamanduás, quatis e capivaras compõem a paisagem – considerada Reserva da Biosfera Mundial pela Unesco – entre as árvores que já começam a florescer.

Para que os turistas tomem conhecimento de todos os aspectos da cultura pantaneira, o refúgio conta com guias especializados e bilíngües, apelidados de caimaners, que acompanham os grupos de hóspedes em passeios a pé, de barco ou canoa, a cavalo ou em safáris fotográficos em caminhões abertos.

Serviço: o valor da diária por pessoa em apartamento duplo, até 3 de outubro, é de R$ 275. Os preços incluem as três refeições (exceto bebidas), os passeios regulares e o acompanhamento dos guias. Mais informações: (11) 3079-6622 ou consulte seu agente de viagens.