Além das praias, as atrações que vêm conquistando interesse turístico cada vez maior no litoral paranaense são as que revelam as belezas e riquezas das matas da região.

A floresta atlântica do Estado oferece oportunidades incríveis para a prática do ecoturismo e também do turismo de aventura – com a vantagem da proximidade da capital, o que torna o programa uma boa dica para o feriado da Semana Santa.

São vários os parques estaduais, reservas de proteção natural particulares abertas à visitação e unidades de conservação. Formada por mais de 500 hectares de vegetação nativa, uma dessas atrações é a Floresta Estadual do Palmito, no km 4,3 da PR-407, conhecida como Estrada das Praias.

Uma estrada de 6,5 mil metros percorre todo o interior da unidade de conservação chegando até o Rio dos Correias. É à margem desse rio que podem ser contempladas as áreas formadas por manguezal com sua fauna e flora características.

O acesso à área é organizado para grupos com visitas pré-agendadas. Entre os atrativos estão as trilhas do Jacu, Neuton e uma outra, contemplativa, com espécies de árvores de grande porte como o palmito, o jerivá, a figueira e a maçaranduba, além de inúmeras orquídeas e bromélias.

Rio da Onça

Priscila Forone
Trilhas cortam a Reserva Florestal Rio da Onça.

O Parque Florestal Rio da Onça fica numa região de restinga, a quatro quilômetros da área urbana de Matinhos, entre os balneários Riviera e Praia Grande. A restinga é uma área de terreno arenoso, próxima ao mar, com vegetação baixa de influência marinha.

A mistura com a mata atlântica torna a visita ao parque uma experiência única. São 118 hectares cortados por trilhas em que podem ser observadas espécies diferentes da fauna paranaense como quatis, cachorros-do-mato e veados, e também da flora típica da mata atlântica.

Marumbi

Priscila Forone
Marumbi (ao fundo): ideal para trekking e escaladas.

O Parque Pico do Marumbi possui mais de oito mil hectares de proteção aos ecossistemas da floresta atlântica, além de belezas naturais em estado primitivo. O Pico do Marumbi é reconhecido pela Unesco desde 1999 como parte integrante do Sítio do Patrimônio Mundial da Natureza, que protege ecossistemas da floresta atlântica.

O Conjunto Marumbi é composto por nove picos. O mais alto é o morro Olimpo, que junto com três outros cumes – Abrolhos, Ponto do Tigre e Gigante – é aberto à visitação pública.

Caminho do Itupava

Terral Expedições
Caminho do Itupava une contato com a natureza e história.

O Caminho do Itupava é uma antiga trilha de 22 quilômetros que liga a capital ao litoral do Estado – estendendo-se do Centro de Visitantes Prainha (na localidade Porto de Cima, em Morretes) até Borda do Campo, distrito de Quatro Barras.

O Itupava é um caminho de belezas naturais e históricas, cruzando rios, vales verdes e montanhas. Entre as principais atrações estão figueiras e samambaias centenárias, além de borboletas, bromélias e orquíd,eas que colorem a trilha que passa sobre o Rio Ipiranga. De Borda do Campo à Prainha, os visitantes levam de seis a oito horas para concluir a caminhada.

Pau do Oco

O Parque Estadual do Pau Oco, situado em Morretes, revela em seus 905 hectares um pouco da história do Paraná. Nele os visitantes podem conferir uma pequena fundação de engenho de erva-mate e outra de cachaça – ambas desativadas.

O parque possui piscinas naturais e a cachoeira Salto do Fortuna. Com grupos de no máximo 15 pessoas, o parque oferece trabalho de orientação ambiental e um operador de ecoturismo para guiar as visitas.

Roteiros diversificados

Há várias empresas especializadas em ecoturismo no litoral, dentre elas agências de turismo receptivo, transporte náutico e hospedagem. Há ainda a Cooperguará Tur – (41) 3482-1313 -, única cooperativa de ecoturismo do Estado registrada no Ministério do Turismo, localizada em Guaraqueçaba, e que oferece 11 roteiros diferentes para atendimento a turistas interessados em conhecer a exuberância da natureza regional.

Na programação estão banhos de cachoeira, rafting, passeios de barco pela baia dos golfinhos, revoadas de papagaios, aquários naturais e várias trilhas entre outros atrativos. No site www.visiteguaraquecaba.com.br é possível escolher o roteiro que mais interessa.

É na região de Guaraqueçaba, por exemplo, que se pode observar, em caminhadas por trilhas diversificadas, o papagaio-da-cara-roxa, espécie ameaçada de extinção e hoje encontrada apenas no litoral do Paraná, sul de São Paulo e norte de Santa Catarina.

A cooperativa trabalha em parceria com a Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) e é administrada por empreendedores locais que fazem do turismo uma fonte de renda compatível com a conservação da natureza. A Cooperguará ainda tem vagas para fechar grupos durante o feriado da Semana Santa.