O futuro prefeito de Curitiba está consciente da importância do turismo para alavancar os índices de emprego e geração de renda na capital. Pelo menos esta é uma das conclusões que se tira das propostas apresentadas pelos cinco principais candidatos – Angelo Vanhoni (PT), Beto Richa (PSDB), Mauro Moraes (PL), Osmar Bertoldi (PFL) e Rubens Buenos (PPS).

A integração dos trabalhos de divulgação e promoção turística entre Curitiba e os municípios da Região Metropolitana visando estender o tempo de hospedagem dos turistas na capital é outro ponto em comum apresentado por alguns candidatos.

Confira as propostas.

Ângelo Vanhoni (PT)

“Curitiba já provou que tem um grande potencial para o turismo. Vamos fortalecer o turismo de negócios e de passeio com projetos em parceria com a iniciativa privada. A intenção é fazer com que os turistas fiquem cada vez mais tempo na cidade e, com isso, gerem renda e emprego à nossa gente.”

– A Diretoria de Turismo da CIC (Companhia de Desenvolvimento de Curitiba) será transformada em Agência de Fomento ao Turismo – desvinculada da CIC – reestruturada e fortalecida;

– Curitiba vai investir, em parceria com o segmento turístico local, na promoção e captação do turismo de eventos e negócios.

– Serão oferecidos cursos de capacitação aos agentes e guias de turismo, para melhorar nosso serviço de recepção turística.

– Integraremos ao turismo os eventos culturais que são referência nacional, como o Festival de Teatro, a Oficina de Música e as comemorações de Natal.

– Transformaremos o bairro de Santa Felicidade em um pólo cultural e turístico. O bairro será revitalizado e terá um Teatro Municipal, cinemas e um centro de eventos, que serão construídos em parceria com a iniciativa privada.

– Integraremos os roteiros de aventura, ecoturismo e turismo rural da Região Metropolitana de Curitiba, Serra do Mar, litoral, Serra de São Luiz do Purunã e Campos Gerais com os roteiros de Curitiba. Assim, serão oferecidas alternativas de passeios e aumentaremos o tempo de permanência dos turistas em nossa cidade.

– O programa de Turismo prevê também a criação de agências de fomento ao turismo para investir na promoção de turismo de eventos e de negócios.

Beto Richa (PSDB)

“A iniciativa privada tem feito sua parte com uma grande rede hoteleira e recebemos recentemente, um grande centro de convenções, um dos maiores e mais modernos da América Latina. Falta o poder público fazer sua parte. Dotar a cidade de Curitiba de mais infra-estrutura para bem atender estes turistas.”

– Criação da Agência Municipal de Desenvolvimento do Turismo, que será o organismo executor da Política Municipal de Turismo. Visa promover o desenvolvimento do setor em todas as suas possibilidades, trabalhando junto com a iniciativa privada.

– Implantação do Projeto Passaporte Curitibano, que vai desenvolver e valorizar as potencialidades turísticas da cidade, com ações específicas para a geração de renda e de empregos, na área do turismo.

– Criação de mais três parques e provisão dos já existentes e pontos turísticos com infra-estrutura para atender bem os visitantes e estimular e apoiar o desenvolvimento de pequenos pólos comerciais em torno dos parques.

– Integração com a Região Metropolitana, onde está o grande filão do turismo para Curitiba, a fim de aumentar o tempo de hospedagem do visitante na capital.

– Intensificação da divulgação do potencial turístico da cidade em parceria com a iniciativa privada e também do turismo receptivo junto com os maiores pólos emissores de turistas no raio de 1,5 mil quilômetros.

– Promoção da integração do turismo, da cultura e do meio ambiente com o foco econômico e com a preocupação de sustentabilidade.

– Criação da Rede Curitibana de Turismo de Negócios, que vai integrar os principais atores envolvidos com o turismo de negócios no município.

Mauro Moraes (PL)

“Curitiba precisa criar uma Secretaria de Turismo.”

– Embelezamento e reestruturação de áreas turísticas como o bairro de Santa Felicidade.

– Incentivar a criação de novas áreas culturais e turísticas.

– Apoio para eventos, festivais, etc. que atraiam mais turistas.

– Criação de um calendário turístico para ser apresentado em eventos nacionais e internacionais, apresentando informações sobre a cidade e seus pontos fortes. Entre os eventos estão alguns muito importantes da cidade para serem explorados como a Oficina da Música, em janeiro; Festival do Teatro, em março; Festival de Inverno, em julho; Maratona Ecológica, em novembro e, em dezembro, os eventos do Natal.

– Treinamento aos profissionais que atuam no setor como os agentes de viagem, dirigentes e funcionários de hotéis, atendentes de parques, restaurantes, motoristas de táxi e demais profissionais envolvidos no setor do turismo.

– Criação de folhetos explicativos em português, inglês e espanhol para suprir as dúvidas e necessidades dos turistas que visitam Curitiba. O folheto deverá ser distribuído nos locais públicos que recebem visitantes.

– Promoção da integração de Curitiba com as atrações que fazem parte da Região Metropolitana, oferecendo, por exemplo, o turismo de aventura, aumentando assim, a permanência do turista na capital.

– Divulgação de Curitiba como pólo turístico e de negócios para o Mercosul, nos países como a Argentina, Paraguai, Bolívia, Uruguai e Peru.

Osmar Bertoldi (PFL)

“Curitiba é um perfeito exemplo de que uma cidade atrai mais e mais visitantes à medida em que é um bom lugar para a sua própria gente. A capital vem se consolidando como um centro turístico, justamente, por ser uma cidade moderna, charmosa, modelo em soluções para questões urbanas, como transporte coletivo, crescimento planejado e política de meio ambiente”.

– Revitalização do centro da cidade.

– Ampliação do projeto Novo Rebouças – Bondinho Elétrico – que restaurará a antiga linha, entre a Praça Eufrásio Correia, defronte à Câmara de Vereadores, e a Praça 19 de Dezembro.

– Consolidação do processo de fomento ao turismo na região Norte da cidade. Diversas ruas que estão neste eixo serão revitalizadas e terão novo paisagismo. Vinte bairros da capital, desde o Atuba até o Passaúna, incluindo Santa Felicidade, terão ações de meio ambiente e cultura. Outros treze bairros estão sob sua influência.

– Conclusão da revitalização da Manoel Ribas, em Santa Felicidade.

– Criação de uma marca (um slogan), para facilitar a divulgação da cidade.

– Consolidação dos novos produtos turísticos da cidade, como Curitiba Capital do Natal, Marcas do Sul do Brasil (que é em parceria com Florianópolis e Porto Alegre), Rotas do Pinhão e o calendário oficial, em parceria com a iniciativa privada e a sociedade.

– Criação e atração de eventos de porte nacional e internacional vinculados ao esporte e cultura para ampliar as oportunidades de geração de renda e trabalho.

Rubens Bueno (PPS)

“O turismo é uma ferramenta fundamental para a geração de emprego e riqueza da cidade. Curitiba tem vocação para o comércio e a prestação de serviço. A alavancagem do setor pode assegurar a formação de milhares de postos de trabalho.”

– Divulgação da cidade e seus negócios no âmbito nacional e internacional por meio de parcerias entre os setores público e privado;

– Elaboração do plano diretor de Desenvolvimento do Turismo prevendo a criação de uma Agência municipal de Desenvolvimento Turístico envolvendo a prefeitura, empresários, comunidade e trabalhadores;

– Promoção da melhoria da infra-estrutura de apoio ao turista (transporte, gastronomia, sinalização indicativa, hotelaria, espaços de eventos etc.)

– Incentivo e promoção de eventos nacionais e internacionais ligados às comunidades étnicas;

– Discussão de planos diretores de turismo para bairros específicos, como por exemplo Santa Felicidade (gastronomia)

– Debate com municípios da Região Metropolitana para ações integradas no setor (por exemplo, turismo ecológico e turismo rural com municípios a oeste de Curitiba).