Desenvolver o artesanato, a gastronomia e a cultura local, visando a sustentabilidade econômica, social e ambiental, bem como estimular as comunidades locais a ver a atividade turística como um grande negócio, propulsor do Sertão de Pernambuco. Esse é o objetivo do projeto Rota do Cangaço e Lampião, que acaba de ser apresentado no município de Triunfo.

A rota vai abranger os 217 quilômetros que unem os municípios de São José do Egito, Afogados da Ingazeira, Triunfo, Santa Cruz da Baixa Verde, Serra Talhada e São José do Belmonte. No ramo do artesanato, ainda estão as cidades de Salgueiro, Serrita, Sertânia e Solidão.

O projeto total tem como público-alvo 140 empreendimentos turísticos e prestadores de serviços (hotéis, pousadas, bares, restaurantes, engenhos de rapadura, uma agência receptiva, guias, empreendedores culturais e artistas), além de 150 artesãos. O Sebrae pretende aumentar a taxa de ocupação dos meios de hospedagem em 20%, sendo 10% até dezembro de 2008 e 20% até dezembro de 2009.

Atrativos

Existe na região uma grande diversidade de atrativos que vão desde a vegetação como o bioma da caatinga até atrativos culturais como o xaxado, dança criada por Lampião, típica da cidade de Serra Talhada, berço do cangaceiro.

Situada em uma área de microclima, a cidade de Triunfo é conhecida como ?oásis do Sertão?. Nela se encontram o ponto mais alto do Estado de Pernambuco, o Pico do Papagaio, cachoeiras e sítios arqueológicos.

A cidade de São José do Egito tem um atrativo cultural ímpar que são os poetas violeiros. Em Afogados da Ingazeira, a remanescência dos quilombolas caracteriza uma cultura arraigada em traços africanos. Em Santa Cruz da Baixa Verde aparecem outros atrativos, como os engenhos de rapadura e a descoberta de uma cratera, provavelmente vulcânica. Já São José do Belmonte é conhecida como ?a terra da Pedra do Reino?, imortalizada no romance de Ariano Suassuna.