Divulgação
O público assiste a
tudo ?de camarote?.

O turismo de observação de baleias tem na Península Valdez, norte da Patagônia argentina, um dos destinos mais interessantes. As baleias francas austrais ali se reúnem em grande número entre julho e dezembro para o acasalamento. Os turistas são levados até o local de observação em um barco inflável, de casco rígido, especialmente desenvolvido para esse tipo de atividade e evitando qualquer incidente com os animais.

Este enorme mamífero recebeu o nome de baleia franca por ser muito passiva, o que torna o show ainda melhor, como conta José Zuquim, diretor da Ambiental, uma das agências que oferecem o passeio.

O passeio noturno ao local é outro atrativo. Em vez dos olhos, é hora de usar os ouvidos: os animais promovem uma verdadeira festa de sons, um acontecimento para quem descobre o caminho da bela Puerto Madryn, porta de entrada para a Península Valdez.

Declarada pela Unesco como Patrimônio Natural da Humanidade desde 1999, a região é considerada capital argentina do mergulho, pois está de frente para o Oceano Atlântico, mas dentro do Golfo Nuevo, cercada pela Península de Valdez e por Puerto Ninfas.

O pacote

A Ambiental oferece um pacote de sete dias para lá. O preço varia a partir de US$ 995 por pessoa, em apartamento duplo, incluindo passagens aéreas a partir de São Paulo, transfers com acompanhamento de guia, hospedagem com café-da-manhã, passeios citados no programa com acompanhamento de guia e assistência médica Travel Ace. Mais informações: www.ambiental.tur.br.