A cavalgada é uma das atividades
oferecidas pelo Gotel-Fazenda Cainã.

Há alguns anos, a paisagem agrícola do Estado vem sendo substituída pelo cenário do turismo rural. Junto com essas mudanças, que não foram somente geográficas, ocorreu uma grande procura por parte do pequeno e do grande produtor dos incentivos do governo federal e estadual para a viabilização da implantação de um empreendimento turístico agrícola rentável.

Com o chamado boom do turismo rural, ocorrido nos últimos quatro anos, com destaque para as regiões dos Campos Gerais, Região Metropolitana de Curitiba e Campo Mourão, houve a necessidade de se regularizar e cadastrar as propriedades que ofereciam esse tipo de entretenimento.

Hoje, aproximadamente 40 municípios paranaenses oferecem atividades ligadas ao turismo rural. Estão cadastrados no Paraná Turismo 120 empreendimentos que se enquadram no padrão de conceituação da Embratur. De acordo com a técnica em turismo da Secretaria Estadual da Indústria, do Comércio e do Turismo do Paraná, Marilda Elizabeth Gadotti, a grande questão está em definir o que se enquadra em turismo rural. “Este ano classificamos no Estado do Paraná todos os empreendimentos que ofereciam pernoite, camping, acantonamento, spa, pousadas, hotéis-fazenda e fazenda-hotel”, informa. De acordo com Marilda, esse levantamento estará servindo de base para futuras pesquisas do setor.

Como fonte alternativa à agricultura, com um retorno financeiro maior e mais rápido, regiões de mananciais e áreas ambientais viram sua salvação econômica através de empreendimentos criativos e inovadores, oferecendo um completo quadro de lazer, hospedagem, eventos, gastronomia, descanso e saúde.

O Hotel-Fazenda Cainã, em São Luiz do Purunã, município de Balsa Nova, é um desses empreendimentos que oferecem atividades para o turismo rural. O estabelecimento recebe cerca de duzentas pessoas por fim de semana. A alta temporada ocorre no inverno, quando o hotel-fazenda chega a registrar aproximadamente mil pessoas por mês. Existente há sete anos, o Cainã recebia, inicialmente, de cinco a dez pessoas por fim de semana.

Viabilização

A coordenadora do Programa Nacional de Municipalização do Turismo, Deise Maria Bezerra, informa que a assessoria técnica da Paraná Turismo oferece toda orientação e assessoria para estudo de viabilização de microcrédito. “O empresário ou produtor interessado deve procurar o Conselho Municipal de Turismo, que faz parte do Programa Federal de Municipalização do Turismo. O microcrédito é de cerca de R$ 10 mil, que poderá estar sendo utilizado para melhoramento ou incrementarão do negócio”, explica Deise.

Esse incentivo e assessoria são necessários, segundo a coordenadora, porque a maioria das pessoas que entram nesse segmento não tem experiência e nem capacitação profissional para administrar. Indo ao encontro das idéias da coordenadora Deise, o Centro de Capacitação em Turismo e Hotelaria – Ceceth, de Curitiba, lança em junho o curso de Administração de Pousadas, idealizado pela proprietária da escola e bacharel em Turismo, Isabela Teixeira.

“O curso é a novidade no setor de turismo rural abrangendo também os empreendimentos no litoral paranaense e de Santa Catarina. As aulas poderão ocorrer tanto no Ceceth, como `in company’. Buscamos com esse curso atender o grande número de empresários que apostaram nesses setores e, também, aquelas pessoas que ainda estão idealizando o seu empreendimento”, declara Isabela.

O curso de Administração de Pousadas tem 120 horas, aulas. O futuro administrador estará tendo contato com as tipologias de pousadas, introdução ao turismo rural, estudo de mercado, viabilidade econômica, educação ambiental, tipos de financiamentos, etc. Mais informações: (41) 322-4866 / 3026-7770 ou pelo site: www.cecethcursos.hpg.com.br .