(Ansa) – Empresários do setor turístico do Uruguai percorreram 16 cidades do Rio Grande do Sul nos últimos dias, com a intenção de atrair brasileiros ao Uruguai durante o verão, já que, devido ao bloqueio das pontes internacionais – realizado por ambientalistas argentinos, o acesso de argentinos estaria restrito.

O ministro do Turismo, Héctor Lescano, estima que, na temporada que começa este mês, cerca de 120 mil turistas argentinos não chegarão ao Uruguai, devido ao bloqueio das pontes em Gualeguaychú.

A Assembléia Ambiental de Gualeguaychú realiza mobilizações sobre o Rio Uruguai desde dezembro de 2005 e ameaça estender os cortes até março de 2007. Os manifestantes exigem a saída da fábrica de celulose, em construção em Fray Bentos, da empresa finlandesa Botnia, pois alegam que a produção causaria um impacto ambiental.

O governo uruguaio garante que a fábrica não causará impactos, por sua alta tecnologia, mas ainda assim o caso gera conflitos diplomáticos.

Lescano avaliou que o bloqueio das pontes continuará por um longo período, e disse que no verão passado 116.800 turistas argentinos deixaram de visitar o Uruguai por esse motivo.

O Uruguai recebe todos os anos milhares de turistas estrangeiros, a maioria da Argentina e Brasil, atraídos principalmente por suas praias. Punta del Este, no Departamento de Maldonado, 138 quilômetros de Montevidéu, é um dos pólos turísticos.

Segundo o diretor de Turismo do departamento (prefeitura) de Maldonado, Horacio Díaz, a companhia aérea argentina Sol realizará vôos diários a partir deste mês, que chegarão ao aeroporto de Laguna del Sauce pelo trajeto Córdoba-Rosario-Punta del Este.