ambliopia160108.jpgEm idade pré-escolar, a maior parte do tempo da criança é dedicada às brincadeiras. Pintar, assistir a filmes ou manusear brinquedos são algumas das atividades lúdicas preferidas dos pequenos, tanto em casa quanto na escola. Enquanto eles se divertem, os pais e professores podem encontrar indícios de um problema oftalmológico que, se não for diagnosticado cedo, pode comprometer a vida adulta. Trata-se da ambliopia, doença conhecida como olho preguiçoso.

Trazer o brinquedo ou o desenho para muito perto do rosto ou assistir à televisão muito próximo da tela são alguns sinais do distúrbio. ?A ambliopia é a diminuição da acuidade visual em um dos olhos. Ela se configura até os cinco anos de idade pela falta de estimulação de um dos olhos, que deixa de se desenvolver?, explica o oftalmologista José Geraldo Pereira.

Com efeito, aos seis meses de vida, a criança deve ser submetida a um exame oftalmológico para diagnosticar a doença, principalmente se tem histórico familiar ou aparenta ter dificuldades para enxergar. Quanto mais cedo o distúrbio for detectado, mais fácil tratá-lo.

A criança que tem um olho preguiçoso e não recebe tratamento corre o risco de ter, inclusive, dificuldades de aprendizado. O tratamento clássico da ambliopia é a oclusão do olho de melhor visão. Os pais também são treinados para estimular a visão dos filhos com diversos exercícios. Depois dos seis anos não é mais possível reverter o problema e a criança é obrigada a usar óculos ou lentes para amenizar a dificuldade visual.