Notícias sobre o mercado financeiro não param de surgir na imprensa. Quedas na bolsa de valores, bancos a caminho da falência e grandes empresas anunciando prejuízos catastróficos são apenas alguns componentes desse cenário de crise mundial. Os reflexos dessas turbulências atingem as grandes corporações. Porém, não se pode esquecer que à frente dessas empresas estão homens de negócios e investidores que, com a instabilidade do mercado, acabam sofrendo com a saúde.

No caso dos homens, estresse, doenças cardíacas e insônia já são problemas muito conhecidos e, ao menor sinal deles, muitos procuram especialistas para se tratarem o quanto antes, pois sabem das conseqüências que eles podem gerar.

Está cada vez mais nítido que as preocupações do trabalho estão afetando diretamente o emocional dos homens em sua vida pessoal, fator que causa desde distúrbios psicossociais até problemas sexuais, como impotência, ejaculação precoce e falta de desejo sexual. O médico Carlos Araújo, especializado em disfunções das atividades sexuais percebeu o aumento considerável no número de pacientes que creditam às questões financeiras seus problemas.

Desde o início da crise, a procura por especialistas em disfunções eréteis já cresceu por volta de 10%, o que demonstra como o apetite sexual está sendo afetado pelas oscilações das bolsas de valores. Além disso, os reflexos dessa crise foram além dos homens e, hoje, como muitos têm medo ou constrangimento em procurar um especialista, suas esposas é que estão tomando a frente dessas decisões e levando seus maridos a procurar uma clínica para o tratamento.