Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceria com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o número de ex-fumantes no país supera o de fumantes. O Brasil tem 24,6 milhões de fumantes, o equivalente a 17,2% da população adulta. Por outro lado, já possui 26 milhões de pessoas que deixaram de fumar, sendo que a maioria delas largou o vício há mais de dez anos.

O levantamento, o mais completo já realizado sobre o assunto, revela o perfil e os hábitos dos fumantes no Brasil. Durante a pesquisa, o IBGE entrevistou 51 mil pessoas de 851 municípios e constatou que entre os fumantes, 87,7% fumam diariamente e 52,1% pretendem largar o vício. No entanto, quando questionados sobre quando abandonarão o fumo, 81,4% dos entrevistados responderam que não será nos próximos 12 meses. 

De acordo com a pesquisa, 33% dos tabagistas fuma entre 15 e 24 cigarros por dia, o equivalente a um maço, e quase 40% dá as primeiras tragadas até meia hora depois de acordar – o que, segundo especialistas, é indicativo de alto grau de dependência. Nos últimos 12 meses, 45,6% dos fumantes revelou ter tentado deixar o vício, mas apenas 22% recorreram à ajuda de algum profissional de saúde ou a medicamentos.

Os fumantes ocasionais representam 12,3% do total dos que fumam, e 64,7% dos entrevistados nunca fumaram. 

Perfil
Os fumantes são predominantemente homens: 14,8 milhões contra 9,8 milhões de mulheres. A maioria dos tabagistas (77,7%) tem entre 25 e 64 anos e a maior parte deles (31,9% das pessoas entre 20 e 34 anos) começou a fumar entre os 17 e 19 anos. A região Sul foi a que registrou o maior percentual de fumantes – 19% da população – e é também onde as mulheres mais fumam (15,9%, enquanto a média nacional é de 13,1%). Já o estado de Sergipe foi o que apresentou a menor taxa de fumantes do país.

A pesquisa mostrou ainda que, proporcionalmente, fuma-se mais na área rural, 20,4% contra 16,6% nas áreas urbanas. Nas áreas rurais, o consumo do fumo de rolo ainda supera o de cigarros industrializados (13,8% contra 11,9% da população total acima de 15 anos). Porém, no total, 14,4% da população adulta fuma cigarros industrializados e apenas 5,1%, cigarros feitos artesanalmente.