Liderado pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) e pelas suas associações espalhadas pelo mundo, o Dia Mundial do Diabetes é comemorado todos os anos no dia 14 de novembro.

Criado em 1991 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para solucionar questões relacionadas com a ameaça crescente que a doença apresenta, a campanha atinge uma audiência global de mais de 1 bilhão de pessoas. O slogan deste ano continua em linha com o foco de cinco anos da campanha (2009-2013) sobre educação e prevenção do diabetes.

Neste ano, a campanha irá se basear nas realizações do ano passado reforçando a conscientização global sobre a doença e capacitando as pessoas para serem mais ativas e controlarem a sua saúde, evitando o distúrbio e as suas complicações.

A doença impõe demandas que duram para sempre em seus portadores e nas pessoas com as quais convivem – amigos e familiares. Como os pacientes são responsáveis por 95% do seu próprio cuidado, é de importância primordial que recebam educação contínua e de fontes seguras, que atendam as suas necessidades.

Estas são oferecidas por profissionais de saúde especializados. Uma meta importante da campanha é estabelecer acesso à educação sobre o diabetes como um direito para todas as pessoas que convivem com a doença.

Conscientização

“Queremos que todas as pessoas interessadas tomem as medidas necessárias para controlaram uma epidemia que afeta a vida de mais de 300 milhões de pessoas no mundo”, comentou Jean Claude Mbanya, presidente da IDF.

Para o público em geral e pessoas que correm alto risco de terem diabetes, a campanha tem como foco promover a conscientização e orientação para a sua prevenção.

Para as pessoas com a doença, o foco será de disseminar ferramentas para melhorar o conhecimento sobre a doença para melhor entendê-la e evitar complicações.

Para os governantes e os responsáveis pelas leis, os esforços serão de comunicar as implicações com custos eficientes das estratégias de prevenção e promover a educação como um componente essencial para o seu cuidado e tratamento.

No momento, o diabetes do tipo 1 não pode ser evitado. Os causadores ambientais que podem gerar o processo que resulta na destruição das células que produzem insulina no corpo ainda estão sendo investigados.

O diabetes do tipo 2, entretanto, pode ser prevenido em muitos casos ajudando e incentivando aqueles que correm risco para manterem um peso saudável e fazerem exercícios regularmente.

Círculo azul

Em 14 de novembro será lançada uma nova e importante iniciativa: o “Teste do Círculo Azul”, para promover o conhecimento sobre os fatores de risco do diabetes do tipo 2 e mostrar as medidas positivas que podem ser tomadas para reduzir o risco para a pessoa. A iniciativa consistirá em interações pela rede mundial de computadores, além de ações voltadas para o público em geral.

Outra função importante da campanha será a continuação do Desafio do Monumento Azul de grande sucesso. Nos últimos anos, mais de mil monumentos do mundo todo foram iluminados em azul para chamar atenção para a data, verdadeiramente “iluminando” o diabetes.

Neste ano, o vínculo entre as luzes e o diabetes será reforçado incentivando a comunidade global a usá-las como um meio para todas as atividades e eventos de base relacionados a comemoração.

“As luzes azuis são uma parte muito importante da nossa mensagem de conscientização e essenciais para o estabelecimento do círculo azul como um símbolo global do diabetes. A programação também servirá de catalisador para eventos que irão beneficiar a todos de uma maneira geral”, completa diretor da IDF.Diabete cerebral

O mal de Alzheimer pode ser qualificado como uma “diabete cerebral”. Dois artigos recentes esclarecem as ligaçõ,es entre essas duas patologias. Por um lado, o risco de desenvolver a doença neurológica aumenta com a ocorrência da diabete, principalmente, antes dos 65 anos.

Por outro lado, a insulina, hormônio-chave que abaixa a taxa de açúcar no sangue, teria um papel protetor sobre as conexões entre as células nervosas envolvidas na memória.

O mal de Alzheimer é a forma mais propagada de demência. Ele é caracterizado principalmente pelo acúmulo patológico de uma proteína que normalmente é eliminada.

Outras formas de demência existentes resultam de patologias dos vasos sanguíneos do cérebro. Assim, parece que fatores de risco vasculares, como a hipertensão arterial, taxas de colesterol excessivas e a diabete, favorecem não somente as demências vasculares, mas também o mal de Alzheimer.

“Os fatores genéticos e o meio ambiente podem contribuir para a associação entre uma diabete tardia e a demência, mas para o adulto, o meio ambiente (alimentação e modo de vida) pode ser responsável pela associação entre a diabete numa idade menos avançada e a demência”, concluíram os autores no artigo.

Fonte: UOL

*A cada 10 segundos uma pessoa morre de causas relacionadas ao diabetes
* A cada 10 segundos duas pessoas desenvolvem o diabetes
* Cada ano mais 7 milhões de pessoas desenvolvem a doença
* O diabetes é a quarta principal causa de morte pela doença global
* Diabetes afeta pessoas de todas as idades
* Cuidados para as pessoas com diabetes é melhor quando uma abordagem multidisciplinar é adotada
* Acesso à medicação adequada e cuidados devem ser um privilégio, não um direito
* Até 60% de diabetes tipo 2 pode ser prevenida
* Diabetes traz desafios diferentes em diferentes idades