A boa nova para os tratamentos de doenças da coluna tem três nomes: cirurgia minimamente invasiva. ,

Com efeito, os procedimentos mais modernos proporcionam uma recuperação mais rápida e o retorno às atividades normais em tempo reduzido.

Sem contar que os novos tipos de procedimento diminuem a necessidade do uso de anestesia geral e garantem um tempo de internação menor, com pós-operatório menos sofrido.

No entanto, é imprescindível que os pacientes se conscientizem que essas cirurgias são elegíveis para determinados casos, não substituindo os procedimentos cirúrgicos mais tradicionais ou mais invasivos, podendo, portanto, caracterizar-se como um meio de alcançar o conforto, mesmo que, alguns casos, de forma temporária e postergar a necessidade de uma operação de maior porte.

De acordo com o ortopedista e cirurgião da coluna, Emerson Grecca, responsável pelo novo Serviço de Cirurgia da Coluna do Hospital Santa Cruz, em Curitiba, a cirurgia minimamente invasiva não é a solução, nem resolve todos os problemas ou doenças da coluna.

“Trata-se de um procedimento que permite postergar procedimentos mais invasivos, que na maioria das vezes, são o que realmente proporcionam a cura”, adverte o especialista, salientando que, na grande maioria dos casos, o procedimento ameniza o sofrimento, mas não afasta a doença.

O ortopedista explica que existem casos em que ela é útil e indicada. “Por exemplo: um paciente que está com uma dor muito intensa e precisa fazer uma viagem, tem um compromisso inadiável ou, até mesmo, uma contra-indicação médica. Muitos desses pacientes podem realizar o procedimento menos invasivo, como forma paliativa”, comenta.

Procedimento rápido e seguro

Para Grecca, não se trata de ignorar os benefícios das cirurgias minimamente invasivas, e sim de alertar que os procedimentos tradicionais ainda mantêm seu espaço, mesmo aquelas técnicas que já completaram 30 ou 40 anos, obtendo resultados expressivos e curando diversos pacientes.

“Não precisamos descartar a cirurgia modernas, mas trata-se de um procedimento que está em desenvolvimento. Acredito que no futuro muitas doenças vão se solucionar por meio desses novos métodos”, esclarece o médico.

Longe dos mitos criados pela população, a cirurgia tradicional não é mais um motivo para assustar os pacientes, nem de achar que, após o procedimento, uma pessoa corre o risco de sofrer sequelas, de ficar “paralítica”.

Com o avanço da tecnologia e o auxílio de equipamentos de última geração, a cirurgia de coluna já desenvolveu muito e, com as técnicas atuais, tornou-se um procedimento mais rápido e menos sofrido para os pacientes.

“A média de internamento hospitalar são de dois dias e o retorno às atividades profissionais, que não exigem esforço físico, é de três a quatro semanas”, explica o cirurgião da coluna.

O médico acrescenta que, em um número cada vez maior de casos, o retorno às atividades físicas é possível. “Certamente, varia de paciente para paciente, mas o prazo médio de retorno permitido é de seis meses”, pondera.

Apoio ao paciente

No Hospital Santa Cruz, o novo serviço de cirurgia da coluna está sendo implantado, com o auxílio de dois cirurgiões ortopedistas e um ambulatório de coluna.

“Daremos suporte e atendimento a qualquer problema de coluna, a qualquer hora do dia”, afirma Grecca.

O Serviço terá como auxílio o setor de imaginologia do hospital que, com equipamentos modernos, como aparelhos de Raio-X de última geração, Tomografia Computadorizada, Ressonância Magnética e Intensificador de Imagens, auxiliarão o cirurgião durante o tratamento dos pacientes, desde a investigação do distúrbio até o pós-operatório. Além disso, o hospital conta com um serviço de apoio ao paciente com dor, que mantém uma relação estreita com os anestesiologistas, permitindo um constate acompanhamento do paciente, ,após a cirurgia, permitindo um pós-operatório indolor ou com mínima incidência de dores.

Para quem não pretende fazer uma cirurgia de coluna tão cedo, a dica de prevenção do especialista é a prática regular e frequente de exercícios físicos. Segundo Grecca, a atividade física feitas sob orientação de um profissional especializado é a forma mais indicada para se prevenir ou amenizar o sofrimento de doenças da coluna.

Dicas de prevenção

Relaxe sua coluna – Após um longo dia de trabalho pesado é ótimo chegar em casa e relaxar, no entanto, cuidado para não colocar a coluna exatamente no mesmo lugar em que ela esteve todo o dia. Tudo o que sua coluna precisa é mudar de posição.

Se exercite regularmente – Não há nada mais importante para a sua coluna do que o exercício. Ele alonga e fortalece os músculos e lubrifica as articulações. Uma rotina de exercícios apropriados é o melhor presente que você pode dar a sua coluna.

Caminhe – Caminhar pode ser uma das melhores atividades para sua coluna, além de ser um dos exercícios mais fáceis de se incorporar à rotina diária.

Alongue-se – Além do condicionamento, um bom regime de exercícios deve oferecer-lhe flexibilidade. Manter os músculos bem condicionados, assim como os tecidos ao redor da coluna, é muito importante.

Fortaleça os músculos superiores – Existem vários músculos de pequeno porte na parte superior da coluna, localizados entre os ombros, que também precisam ser fortalecidos.

Fonte: Livro: Cure sua coluna (Best Seller), de Arnaldo Libman

Sua coluna agradece

* Evite carregar sobrecarga de peso
* Caminhe mantendo a cabeça erguida
* Dispense o salto alto
* Tire o peso dos ombros e alternar a posição da bolsa
* Evite permanecer sentado sem apoio para as costas por tempo prolongado
* Adapte os móveis ao seu porte físico
* Fuja do sedentarismo e da obesidade
* Pratique atividades físicas regularmente