Das nove toneladas de cocaína apreendidas
no ano 2000 nos países da União Européia,
um terço foi interceptado no Reino Unido.

O consumo de cocaína no Reino Unido está crescendo mais rápido que em qualquer outro país da União Européia, alertou um estudo divulgado por especialistas europeus. O informe, feito pela Agência Antidrogas da União Européia, indica que o uso de cocaína está aumentando a “passos gigantes” entre os britânicos.

Segundo os especialistas, grande parte do crescimento deve ser atribuído à queda no preço da cocaína registrada nos últimos meses. O estudo também destaca que das nove toneladas de cocaína apreendidas no ano 2000 nos países da União Européia, um terço foi interceptado no Reino Unido.

A lista de países europeus com “graves problemas de consumo de drogas” incluiu a Itália, Luxemburgo e Portugal. O documento revela também que “o número de pessoas que consomem anfetaminas duplicou entre os britânicos, e esse aumento não foi observado em nenhuma outra parte da Europa”.

Apesar disso, o estudo assinala que “a droga mais usada no continente é a maconha, consumida por cerca de 10% da população adulta da Finlândia. Na Dinamarca e Reino Unido, essa cifra chega a 30%”.

Mike Trace, diretor da Comissão para a Prevenção da Narcodependência no Reino Unido, considerou os números “muito alarmantes”. “O consumo de cocaína continua sendo minoritário entre os britânicos, mas, nos últimos meses, tem crescido perigosamente e de forma alarmante”, afirmou.

“Não podemos negar que o Reino Unido continua sendo o país europeu com mais problemas de drogas. Aqui, a população jovem (um em cada três adolescentes) experimenta drogas num índice desconhecido em outras partes da Europa”, acrescentou Trace.

O funcionário advertiu ainda que “o problema mais grave é que o uso da cocaína já não é circunscrito a viciados ou grupos de ricos e famosos. Agora, qualquer adolescente que vá à discoteca pode comprar a droga”.