Denise Kubrusly: o exemplo
veio do pai.

A devoção do pai à medicina e a felicidade com que o ginecologista e obstetra Fortunato Veleda Bermudez exercia a profissão marcaram a vida da sua filha Denise Bermudez Kubrusly. Daí, até seguir a profissão do pai foi um caminho trilhado com naturalidade, já que a certeza da escolha tinha sido decidida há muitos anos, na infância. Acostumada a ouvir as emocionantes histórias do pai, sobre a nobreza da sua missão, Denise sempre o considerou um herói, até sua morte por infarto, aos 55 anos de idade. ?Ele, que sempre tocou a vida das outras pessoas por sua explícita paixão pelo ofício médico, descuidou dos cuidados com sua saúde e nos deixou precocemente?, lamenta.

Denise guarda na lembrança situações que marcaram sua vida e mostram o altruísmo do seu pai, pronto para ajudar quem quer que seja. Lembra, por exemplo, que, quando ainda pequena, a família descia aos sábados para o litoral, não sem antes dar uma ?passadinha? no hospital, para Fortunato Bermudez visitar algum paciente. ?Nós esperávamos no carro, e quando, duas horas depois, perguntávamos por ele, descobríamos que estava na sala de cirurgia, fazendo um parto ou cuidando de alguma paciente?, relembra. Ela conta que ninguém da família reclamava. Todos compreendiam o seu sacerdócio. Outro fato que Denise não esquece é que, quando se sentia triste ou angustiado, o pai pegava o aparelho de pressão e visitava uma região pobre da cidade, conversando e fazendo consultas com as pessoas. ?Era o seu jeito de afugentar o estresse diário?, enfatiza a médica.

Medicina até nos momentos de lazer

O legado do doutor Bermudez foi assumido por diversos outros familiares. Nemésio, seu irmão, também enveredou para a profissão. Seguiram o mesmo caminho seus filhos Denise, especialista em angiologia, e Roberto, em oftalmologia. O outro filho do patriarca, Álvaro, não seguiu o mesmo caminho, mas o destino fez com que se unisse em casamento com a pediatra Beatriz. Denise conheceu seu marido, o cardiologista Luis Fernando Kubrusly, durante o trote dos vestibulandos do curso de medicina da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Como a graduação em medicina requer dedicação quase que exclusiva, o casamento dos dois só foi marcado para o último ano da faculdade.

Como não poderia deixar de ser, o filho do casal, Fernando, seguiu o mesmo caminho: cursa o terceiro ano da graduação em medicina. Diferentemente das famílias cujos integrantes atuam na mesma profissão e nas horas de lazer não podem nem ouvir falar dela, a família Bermudez Kubrusly adora falar do dia-a-dia da profissão. ?Cada um fala das suas experiências e todos são absorvidos pelas situações comentadas no bate-papo?, realça Denise, salientando que esta rotina é seguida pela família há muito tempo. ?Dá para imaginar, então, como é um almoço em família no domingo?, brinca.