É muito importante que o diabético cuide de sua alimentação e pratique exercícios físicos para controlar a obesidade e o estresse, bem como as taxas de lipídios no sangue, fatores de risco para o diabetes.

A alimentação adequada é muito importante para os diabéticos. O diabetes tipo II cresce na mesma proporção da obesidade. A dieta é fundamental para o controle do diabetes, podendo estabilizar os sintomas, estabilizar os níveis de glicose no sangue e reduzir o risco de complicações. Muitas vezes a dieta pode precisar ser restritiva em relação a gorduras, colesterol e proteínas, para prevenir doenças coronárias e renais.

Fibras

– As fibras são muito benéficas aos diabéticos pois retardam a liberação da glicose, melhoraram o controle glicêmico devido à redução dos níveis de glicemia pós-prandial e basal e diminuição dos níveis de colesterol total e colesterol LDL. Também bloqueiam o aumento de triglicerídeos que ocorre em dietas ricas em carboidratos e melhoram a função intestinal e a satisfação do apetite.

Aveia e cereais integrais

– Os diabéticos devem optar pelos cereais nas versões integrais, como trigo integral e arroz integral, pois além de serem ricos em fibras solúveis, possuem vitaminas do complexo B e minerais, geralmente perdidos durante os processos de beneficiamento.

Carboidratos

– Deve-se evitar carboidratos de fácil absorção como cana-de-açúcar, açúcar mascavo, melaço, mel, balas, sorvetes, chocolates, bolos, refrigerantes e doces.

Os diabéticos devem substituir os carboidratos simples, de fácil absorção, pelos complexos como os cereais (arroz, milho, centeio, cevada), leguminosas (soja, feijão, lentilha, ervilha, grão-de-bico) e as raízes e os tubérculos (batata, mandioca, cará, beterraba e inhame), dentro de uma dieta devidamente fracionada e equilibrada de acordo com as necessidades de cada indivíduo.

Proteínas

– É importante que o diabético consuma carnes magras, de preferência brancas, como peixes e frango, para controlar o nível de colesterol sanguíneo e opte por leite desnatado, iogurte light, queijos brancos e ricota, diminuindo assim, a ingestão de gorduras saturadas. Nos diabéticos que desenvolvem complicações renais, a restrição protéica poderá reduzir de forma significativa a perda da função renal.

Gorduras

– A ingestão de gorduras de origem animal deve ser controlada, por serem ricas em colesterol e ácidos graxos saturados, dando preferência às gorduras de origem vegetal como azeite de oliva, óleo de canola, girassol e margarina.

Fracionamento da dieta

– É importante verificar que a alimentação deve ser fracionada em cinco a seis refeições por dia, o que é muito importante para os diabéticos, em particular nos diabéticos insulino-dependentes, devido à insulina sérica circulante. O fracionamento tem como objetivo evitar episódios de hiperglicemia, que costumam ocorrer aos longos períodos sem alimentar-se.

Amélia Gomes

é nutricionista. (041) 352-4005, Curitiba –
PRameliavijaia@bol.com.br