Os pesquisadores Daniela Ghorayeb e Paulo Dalga-larrondo, da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp (Campinas), verificaram que entre homossexuais há maior prevalência de distúrbios mentais e atendimento em serviços de saúde mental. Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores realizaram um estudo com: 60 homossexuais e 60 heterossexuais autoidentificados. Os participantes foram entrevistados individualmente por meio de versões brasileiras dos questionários de padrão internacional. Análises estatísticas foram usadas para identificar frequências e comparar os resultados entre os grupos incluídos na pesquisa.

Segundo os resultados apresentados, pelo menos um distúrbio psiquiátrico foi identificado em 41,7% dos entrevistados homossexuais e em 23,3% dos heterossexuais. Já a procura por serviços de saúde mental no passado foi relatada por 56,7% dos homossexuais e por 26,7% dos heterossexuais. Os autores também encontraram maior preva-lência de depressão, risco de suicídio, uso de medicação psiquiátrica e psicoterapia no passado entre o grupo de homossexuais. Para os autores, o impacto negativo na saúde mental dos homossexuais investigados pode ser resultado de discriminação no contexto sócio-cultural brasileiro.

Fonte: Notisa