Discutir a relação é comum na vida a dois. Mas antes, vale uma análise individual para que cada um possa se dar conta das perspectivas que assume sobre si e o relacionamento:

-Faça um retrospecto do relacionamento e veja desde quando as coisas não vão bem. O que tem prejudicado a relação?

-Como as coisas eram e como passaram a ser?

-Quais foram/são as suas dificuldades em lidar com tais situações? Quais suas qualidades em lidar com isso?

-Quais foram/são as suas dificuldades em lidar com o parceiro desde então? Quais suas qualidades?

-Como você se sente em relação ao que aconteceu? Como está sua autoimagem desde então? Qual sua autocrítica a respeito? Como tem se sentido em relação ao parceiro?

-Como imagina o relacionamento no futuro? Note que estas são as suas considerações sobre o que aconteceu e acontece.

Seu corpo sente e pensa de maneira única assim como seu/sua parceira(o) também tem um corpo que pensa e sente de maneira única.

Respeitando suas perspectivas e disposto a respeitar a perspectiva do outro inicie o diálogo. Lembre-se que atitudes de desrespeito provocam no cérebro emocional um estresse que desestabiliza a capacidade de nosso cérebro racional de pensar de acordo com objetivos provocando um ciclo de ataque e defesa.
Dicas para um diálogo produtivo
-Escolha hora e local adequados;

-Seja objetivo, sem rótulos ou julgamentos. Expresse seus sentimentos de forma sucinta e coloque o que você deseja. Repito: descreva sem rotular. A descrição tem a ver com a realidade e os sentimentos são só seus. Assim ambos direcionam a conversa sobre eventos reais e compreensão dos sentimentos um do outro;

-Já que você trará a sua perspectiva use o “eu” ao invés de “você”;

-Para se referir ao cônjuge use o nome dele. Quando ouvimos nosso nome o corpo dá mais atenção;

-Mantenha um tom compreensível, assim o cérebro racional fica mais sincronizado com o cérebro emocional;
Exemplo sem efeito: “Eu já disse três mil vezes pra não deixar a toalha molhada em cima da cama. Você é surdo ou o que eu digo não tem importância nenhuma?”

Prefira: “Eu já disse várias vezes que não quero que você deixe a toalha molhada em cima da cama e mesmo assim, você continua deixando. Isso me deixa aborrecida e cansada. Eu preciso sentir que posso contar com você.”

No começo pode ser difícil. Mas a comunicação também é uma habilidade, que precisa de treinamento. Com o tempo você vai se sentir mais confiante e o melhor, poderá viver o melhor do relacionamento, sem o desgaste das discussões.